Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Libertadores vira trunfo do Santos para segurar destaques

Diretoria espera segurar principais jogadores

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2015 | 07h00

A diretoria do Santos já sabe como pode segurar seus principais jogadores para a próxima temporada, mesmo sem ter muitos recursos. A classificação para a Copa Libertadores é usada pelos dirigentes como trunfo para convencer os atletas a continuar na equipe pelo menos até o meio do ano.

Segundo Modesto Roma, presidente do clube, o meia Lucas Lima já disse para ele que gostaria de continuar no clube ano que vem, principalmente se o time for para a Libertadores. Outros jogadores admitem publicamente que jogar a competição continental é um motivo extra para ficar.

"O sonho de todo jogador é conseguir ganhar título por um clube como o Santos. A Libertadores vai ser um campeonato muito importante para nós e espero estar à disposição no ano que vem para jogar a Libertadores", disse o atacante Geuvânio.

Gustavo Henrique seguiu o discurso do companheiro e destacou a importância de poder atuar pelo clube na competição continental. "Sempre sonhei jogar uma Libertadores e assisti o Santos na Libertadores. Se concretizar (a vaga), espero ser utilizado e fazer história no clube", falou o defensor.

Santos e Palmeiras são as únicas equipes que ainda têm duas formas de conseguir a classificação para a Libertadores. A primeira é conquistar a Copa do Brasil, nos dois jogos que serão realizados nos dias 25 de novembro e 2 de dezembro. E outra opção seria ficar entre os quatro primeiros do Campeonato Brasileiro. Caso o campeão da Copa do Brasil fique no G-4, abrirá a vaga para o quinto colocado, ou seja, o campeão do torneio mata-mata pode acabar ajudando o rival.

Por outro lado, se mesmo assim o Santos não conseguir ir para a Libertadores, a tendência é que pelo menos uma de suas estrelas seja negociada para o time conseguir equilibrar as finanças.


Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCFutebolBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.