Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Libertadores vira trunfo para Muricy Ramalho pedir reforços

Risco de fiasco em 'grupo da morte' pode fazer diretoria abrir os cofres para fortalecer o plantel

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

05 de dezembro de 2014 | 07h00

O duro grupo do São Paulo na Copa Libertadores pode dar a Muricy Ramalho o argumento que faltava para convencer a diretoria a investir pesado em reforços. Sob o risco de uma eliminação já na primeira fase, os dirigentes se veem pressionados a melhorar o plantel.

Não é de hoje que o técnico diz que o elenco atual não consegue o tetracampeonato sul-americano. A situação se agrava com a saída de Kaká, que deixará o meio-campo com apenas Boschilia como opções a Ganso e Michel Bastos.

Por enquanto, o Tricolor demonstra tranquilidade para a temporada de contratações, mas a chave que o coloca diante do atual campeão San Lorenzo, além dos uruguaios do Danubio e Corinthians ou Inter, já liga o sinal amarelo. “É um grupo que gostamos, competitivo, mas é claro que os pedidos por contratações aumentarão”, disse um dirigente ao Estado.

A diretoria, por ora, ainda pensa em nomes para compor o grupo e não enxerga a necessidade de medalhões. O advento do ‘grupo da morte’ na Libertadores, no entanto, pode fazer o jogo virar a favor de Muricy.

O treinador espera pelo menos um lateral-direito, um zagueiro, um meia e um atacante de velocidade para fechar o grupo. Por enquanto, os dirigentes formatam a lista de possíveis alvos para então começar as sondagens de mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.