Secom/Divulgação
Secom/Divulgação

Licitação das cadeiras para Arena Pantanal é suspensa novamente

Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, revelou preocupação com a situação do estádio

AE, Agência Estado

22 de outubro de 2013 | 14h57

CUIABÁ - O imbróglio sobre a aquisição das cadeiras a serem instaladas na Arena Pantanal, um dos palcos da Copa do Mundo de 2014, segue sem uma definição. Nesta terça-feira, a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) suspendeu a sessão do pregão presencial em Cuiabá. A suspensão se deu durante a fase de proposta da única empresa participante do processo licitatório, a Desk Móveis Escolares Produtos Plásticos Ltda, que forneceu as cadeiras para o Estádio Mané Garrincha, em Brasília. A paralisação se deu porque a Kango Brasil Ltda, vencedora da licitação anterior, que posteriormente foi cancelada, apresentou um documento que aponta a Desk como empresa inidônea, o que a impediria de assinar contratos com a administração pública.

Diante da informação, a Secopa optou pela suspensão da sessão e agora vai consultar a Justiça do Estado de São Paulo para averiguar se as informações são válidas. "Esperamos concluir a diligência entre hoje e amanhã. Se não houver nenhum problema, vamos publicar no Diário Oficial do Estado a data para retomada da sessão. No entanto, se a Desk realmente for inidônea, teremos que publicar um novo edital de licitação para que outras empresas possam participar", disse o secretário extraordinário da Copa do Mundo no Mato Grosso, Maurício Guimarães.

A ação desta terça não foi a primeira da Kango no imbróglio que se tornou o processo de licitação das cadeiras da Arena Pantanal. A empresa venceu a primeira concorrência, que acabou sendo cancelada após o Ministério Público do Estado do Mato Grosso recomendar a suspensão do processo em razão do valor que seria pago pelas cadeiras em comparação com o que se gastou em outros estádios. Na última segunda-feira, a Kango tentou reverter o cancelamento da primeira licitação através de mandado de segurança, que acabou sendo negado pela desembargadora Maria Erotides Kneip Baranjak. Nesta terça, porém, a empresa teve sucesso na tentativa de paralisar o pregão presencial para aquisição dos assentos.

O impasser deve aumentar a preocupação sobre a Arena Pantanal. Recentemente, após passagem por Cuiabá, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, revelou preocupação com a situação do estádio e cobrou que os prazos apontados pela entidade sejam cumpridos. Apesar da paralisação, o secretário extraordinário da Copa do Mundo no Mato Grosso garantiu que a empresa vencedora da licitação tem o compromisso de entregar os assentos até o dia 20 de dezembro. A secretaria aponta que o estádio, que será palco de quatro partidas no Mundial de 2014, está com aproximadamente 85% dos serviços previstos executados. A promessa é de que a Arena Pantanl será concluída em dezembro deste ano, com inauguração prevista para janeiro de 2014.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa de 2014Arena Pantanal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.