Vitor Silva/Botafogo e Bruno Cantini/Agência Galo
Vitor Silva/Botafogo e Bruno Cantini/Agência Galo

Líder Atlético-MG visita o Botafogo no Rio e tenta manter 100% no Brasileirão

Equipe carioca tenta conquistar seu primeiro resultado positivo na competição

Redação, Estadão Conteúdo

19 de agosto de 2020 | 09h23

Líder e com 100% de aproveitamento neste início do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG busca o quarto triunfo seguido na competição. O adversário no duelo desta quarta-feira, às 21h30, é o Botafogo, no Engenhão, no Rio.

Com um futebol ofensivo, o Atlético conseguiu vencer os três primeiros jogos e lidera a competição com nove pontos. A missão da equipe treinada pelo argentino Jorge Sampaoli é manter a boa fase e ampliar a sequência positiva. O time mineiro já foi eliminado da Sul-Americana e Copa do Brasil e pode focar só no Brasileirão.

Nathan continua se recuperando de uma lesão muscular no bíceps femoral e segue fora do time. Também estão no departamento médico Gustavo Blanco e Diego Tardelli. Assim, não há novos desfalques, o que, no entanto, não quer dizer que Sampaoli não vá mexer no equipe. Acostumado a armar formações adaptadas ao estilo do jogo de cada rival, o treinador deve fazer algumas alterações.

É muito provável que Guilherme Arana, que começou entre os reservas contra o Ceará, reassuma a titularidade, e Allan, improvisado na lateral esquerda, retorne ao meio de campo. O jovem Marquinhos também pode aparecer entre os 11 iniciais no lugar de Savarino.

Há também a possibilidade de Junior Alonso, titular em todas as partidas desde que foi contratado, descansar. Se o paraguaio for preservado, Igor Rabello é o mais cotado para formar a zaga ao lado de Réver.

Quem está com moral e dificilmente deixará a equipe titular é o atacante Marrony. Ele marcou os dois gols da última vitória e está mais adaptado aos esquemas de Sampaoli. Tem três tentos em sete jogos com a camisa atleticana e agora terá Eduardo Sasha como concorrente no comando de ataque.

O atacante deixou o Santos e já foi oficializado pelo Atlético. Entretanto, não viajou ao Rio com a delegação e ainda precisa ser inscrito no BID da CBF para poder estrear. Já o venezuelano Otero negocia com o Corinthians e deve oficializar sua saída em breve.

Hora do Botafogo acordar?

Em sua estreia em casa no Campeonato Brasileiro, o Botafogo tem o duro desafio de encarar o time que tem 100% de aproveitamento no campeonato. Com um jogo a menos, válido pela primeira rodada, contra o Bahia, que foi adiado, o Botafogo soma dois pontos e está na 14ª colocação.

A equipe empatou os dois confrontos que fez contra Red Bull Bragantino e Fortaleza por 1 a 1 e 0 a 0, respectivamente, ambos disputados longe do Rio. Agora, terá a oportunidade de jogar em casa pela primeira vez no torneio.

O técnico Paulo Autuori não poderá terá Victor Luis nesta quarta e também nas próximas partidas. Com apendicite, o lateral-esquerdo foi operado nesta terça para a retirada do apêndice e está fora. A tendência é de que fique fora por até três semanas, levando em conta o tempo médio de recuperação nesse caso.

Assim, confirmando a ausência de Victor Luis por quase um mês, o lateral vai desfalcar a equipe pelo menos nas próximas cinco rodadas da competição, além do duelo contra o Paraná pela terceira fase da Copa do Brasil. Nesse período, é provável que Danilo Barcelos seja o titular. Guilherme Santos também briga pela vaga, mas ele tem sido mais utilizado como ponta.

Por outro lado, o treinador deve contar com os retornos de Cícero e Pedro Raul, que desfalcaram a equipe nas duas primeiras rodadas, mas já estão recuperados da covid-19. Os dois vêm treinando normalmente e vivem a expectativa de voltar a jogar. A tendência é de que o meia comece entre os reservas e o atacante reassuma a titularidade na vaga que vinha sendo ocupada pelo jovem Matheus Babi.

Apresentado no último sábado no Engenhão, Salomon Kalou ainda não está a estrear. O marfinense precisa ser inscrito no BID da CBF e também terá de readquirir a forma física ideal antes de entrar em campo. Ele não atua desde novembro de 2019, quando defendia o Hertha Berlin, da Alemanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.