Washington Alves/Cruzeiro
Washington Alves/Cruzeiro

Liderança do Brasileirão fica acima da expectativa da Chapecoense

'Estamos até um pouco fora da curva mesmo se fôssemos muito otimistas', afirma Rui Costa

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

05 de junho de 2017 | 13h08

Líder do Campeonato Brasileiro pela segunda rodada seguida, a Chapecoense tem mostrado consistência em campo. A última derrota ocorreu há quase um mês, no dia 10 de maio, na final da Recopa Sul-Americana, diante do Atlético Nacional. De lá para cá, o time catarinense acumula sete jogos sem perder e apenas três gols sofridos, sendo dois na Copa Libertadores.

A ascensão ocorre pouco mais de seis meses depois do trágico acidente aéreo na Colômbia que deixou 71 vítimas. Para o diretor-executivo Rui Costa, responsável pela reestruturação da Chapecoense, os resultados têm superado as expectativas projetadas no início da temporada. 

"Estamos até um pouco fora da curva mesmo se fôssemos muito otimistas. Imaginar que, ao cabo de seis meses, conseguiríamos uma classificação para as oitavas da Libertadores, que não aconteceu formalmente por questões da Conmebol. Conseguimos um título catarinense quatro meses depois de um episódio extremamente delicado. E estarmos na liderança do Campeonato Brasileiro, ainda que circunstancialmente, é algo difícil de imaginar. Jogando o futebol que estamos mostrando é algo que supera as expectativas, mas não nos surpreende. Sabíamos que o trabalho ia mostrar resultado", disse ao Estado.

Fora de campo, o dirigente destaca o viés profissional e psicológico do processo de reconstrução do time catarinense. "Há um profissionalismo muito grande na Chapecoense. Mas também há um projeto emocional. Foi muito importante entendermos como seria fundamental considerar o lado emotivo do processo", afirmou Rui Costa.

A sequência positiva teve início na estreia do Brasileirão, no empate por 1 a 1 com o Corinthians, em Itaquera. A partida marcou também a entrada do goleiro Jandrei, que  melhorou a qualidade do time na saída de bola e trouxe mais equilíbrio em campo. A segurança defensiva é outro ponto preponderante na boa fase da Chapecoense. O apoio de todos os setores na marcação tem ajudado a equipe a ser uma das menos vazadas do Brasileirão, com apenas um gol sofrido.

O diretor-executivo aponta ainda a maturidade alcançada pelo grupo em pouco tempo de preparação e exalta o trabalho do técnico Vagner Manicni. "Resultado desse calibre mostra que o grupo está muito consolidado emocional e taticamente e isso passa muito pelo trabalho do Mancini e da comissão técnica. O Mancini conseguiu rapidamente criar um modelo de jogo com uma identificação muito grande com o jeito de jogar da Chapecoense."

Na tabela, a Chapecoense tem sido seguida de perto pelo Corinthians, que soma os mesmos 10 pontos e aparece na segunda posição do Campeonato Brasileiro devido ao saldo de gols (cinco contra quatro). Os desafios continuam e, para se manter na ponta, terá de superar o Grêmio, na próxima quarta, na Arena Condá. Uma vitória sobre os gaúchos, que ocupam a terceira colocação, dará ainda mais respaldo ao elenco em ascensão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.