Liedson não embarca para a Ucrânia

Liedson não é mais jogador do Corinthians. O clube paulista não conseguiu cobrir a proposta de U$ 2,5 milhões do Dinamo de Kiev. O atacante é o segundo desfalque do time no jogo deste domingo, contra o Coritiba, às 16h, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro. Fábio Luciano, negociado com o Fenerbahce, da Turquia, é o outro. Liedson deveria ter embarcado para a Ucrânia hoje, num vôo da Lufthansa, às 14h30, no aeroporto de Guarulhos, mas não se apresentou para a viagem. Em contato com a Agência Estado, por telefone, o jogador afirmou que não viajou ´porque ainda faltam alguns detalhes na negociação´. No entanto, o atacante não quis dar detalhes sobre essas razões. O Corinthians tinha até hoje, às 10 h, para cobrir a proposta do Dinamo de Kiev. O fracasso do clube soou mais como uma farsa para enganar a torcida. Nos bastidores do Parque São Jorge nunca se acreditou que um grupo de conselheiros pudesse de fato bancar a permanência do atacante no Parque São Jorge. O esquema tinha todas as características de uma farsa. Tanto isso é verdade que o vice presidente Antonio Roque Citadini, membro do Tribunal de Contas do Estado, fez questão de não participar diretamente da aventura. Sem Liedson, o técnico Geninho confirmou a presença de Leandro Amaral no ataque. O treinador também ratificou a escalação de César no lugar de Fábio Luciano e ainda efetivou o lateral-direito Rogério como capitão da equipe, em substiuição a Fábio Luciano. Para os lugares de Fabinho e Fabrício, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, o treinador escalou Cocito e Wendell. No treinamento de hoje, no CT de Itaquera, Geninho acabou tendo de enfrentar também um problema disciplinar de Fabrício. O jogador se revoltou contra a marcação de uma falta do auxiliar técnico Ivo Almeida, que apitava o treinamento. Fabrício exagerou nas reclamações e chamou a atenção de todos que estavam acompanhando o treino - inclusive Geninho. O treinador pediu calma ao jogador, que continuou reclamando. A resposta do técnico foi dura. "Larga de ser moleque. Pode sair". Fabrício foi para o vestiário, tomou banho, mudou de roupa e voltou para se desculpar com Ivo de Almeida. Os dois se cumprimentaram. Fabrício foi embora sem falar com os jornalistas. Como Geninho só dá entrevistas às terças e às sextas-feiras, o técnico enviou uma mensagem por intermédio da assessoria de imprensa do clube. "Foi um ato de indisciplina. O caso está entregue à diretoria e será resolvido internamente", repetiu o assessor de imprensa, Luciano Signorini. Com tantos problemas de ordem administrativa, o Coritiba, adversário de amanhã, no Morumbi, acabou ficando em segundo plano na ordem do dia. Mas o novo capitão da equipe, o lateral-direito Rogério, não esqueceu que se trata de um jogo decisivo para o time. "Esses três pontos são fundamentais para o Corinthians. Se não ganharmos do Coritiba, as cobranças vão aumentar muito. A torcida não vai querer saber quem estará em campo ou quem deixará de estar. Jogue quem jogar, o time é do Corinthians".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.