Susana Vera / Rueters
Susana Vera / Rueters

Liga espanhola rejeita pagamento da multa rescisória de Neymar, diz agência

Não está claro, porém, se a liga tem poder para barrar a operação, no valor total de 222 milhões de euros (R$ 821,4 milhões)

O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2017 | 07h54

A liga espanhola confirmou nesta quinta-feira que rejeitou receber o pagamento da multa rescisória de 222 milhões de euros (aproximadamente R$ 821,4 milhões) que liberaria o atacante Neymar do Barcelona e facilitaria os trâmites para a concretização da sua transferência ao Paris Saint-Germain.

À agência de notícias The Associated Press, a liga espanhola justificou que não atuará como intermediário do jogador na transação. A recusa também pode envolver a suposta violação das regras do Fair-Play Financeiro da Uefa, ainda mais que os últimos Javier Tebas, presidente de La Liga, declarou anteriormente que a transação desrespeitaria essa legislação.

Além disso, há um imbróglio jurídico envolvendo a renovação do contrato de Neymar com o Barcelona, firmada em outubro de 2016. O acordo previa o pagamento de 25 milhões de euros (R$ 92 milhões) ao jogador até o final de julho. O Barcelona, porém, "congelou" o pagamento diante da iminente saída do brasileiro e declarou ter realizado o depósito desse valor em juízo.

Nesta quinta-feira, Juan de Dios Crespo, um advogado espanhol que representa Neymar, foi para a sede da liga espanhola acompanhado por três brasileiros com a intenção de depositar o pagamento da cláusula de rescisão do contrato do atacante brasileiro, mas não teve sucesso.

A negativa da liga, porém, não tem força para frear a transferência de Neymar para o Paris Saint-Germain, pois o pagamento da cláusula poderá ser realizado diretamente ao Barcelona. Sem o aval da liga, porém, o time francês e o jogador teriam que acionar a Fifa para conseguir a transferência provisória, um negócio que seria o maior da história do futebol superando em muito os 105 milhões de euros (R$ 388 milhões, na cotação da época) pagos pelo Manchester United para a Juventus no ano passado pelo francês Paul Pogba.

Na última quarta-feira, Neymar e seus representantes se reuniram com dirigentes do Barcelona e comunicaram o desejo do jogador de deixar o clube. O time espanhol, então, liberou o brasileiro dos treinamentos, mas avisou que só vai liberá-lo com o pagamento do valor integral da multa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.