Arquivo Pessoal/Christiano Fernandes
Arquivo Pessoal/Christiano Fernandes

Ligas perto do fim e poucos casos de coronavírus mantêm futebol em Burundi e Nicarágua

Nações enfrentam poucos problemas com a pandemia enquanto continuam com a programação normal dos campeonatos

Ciro Campos, O Estado de S. Pauilo

18 de abril de 2020 | 07h00

Talvez só os mais profundos conhecedores de geografia sejam capazes de encontrar no mapa-mundi Burundi e Nicarágua sem cometer erros. Os pequenos países somam 14 casos do novo coronavírus e mantém os campeonatos em disputa justamente por considerarem que o número é baixo e por viverem momentos decisivos das disputas locais.

No único local das Américas com futebol em andamento, a Nicarágua, o Estado encontrou o meia Christiano Fernandes. Um dos principais jogadores do Manágua, líder do campeonato local, mora há quatro anos por lá e gosta do clima quente e das praias da América Central. Apesar das partidas serem com portões fechados, resta somente uma rodada para o fim da primeira fase. Depois, os seis mais bem classificados avançam à etapa final.

"O país tem poucos casos. A vida está normal, como se fosse o Brasil antes de começar a pandemia. Não tem essa de estar caro o preço do álcool gel e essa loucura que está no Brasil. Eu me sinto um privilegiado, porque posso continuar a jogar futebol", afirmou o jogador. "Eu acho que o campeonato não tem de parar. Só se tivesse algum risco ou perigo. Paralisar agora seria um exagero", disse. A Nicarágua tem nove casos confirmados da covid-19.

A família de Christiano mora em Alagoas e acompanha à distância a carreira dele. O meia contou que outros colegas de time também confiam nas condições da saúde pública do país. "Todos da minha equipe equipe apoiam a continuidade do futebol. É nosso sonho de criança jogar futebol. A gente ama o que faz, então estamos tranquilos", afirmou.

O pequeno Burundi fica espremido na África Oriental entre República Democrática do Congo, Tanzânia e Ruanda. Antiga colônia belga, o país está a duas rodadas de terminar o campeonato local e tem quatro casos da covid-19 . Fora isso, vive ainda a expectativa de ter eleições presidenciais no próximo mês de maio.

O jornalista Patrick Sota trabalha no jornal local Arc-en-Ciel, um dos mais importantes semanários do Burundi. O campeonato do país continua com a presença de público e com o posicionamento da federação local de que não é necessário se paralisar a disputa, já que a pandemia não tem muitos casos registrados por lá.

"Os times, jogadores e torcedores foram informados de que o coronavírus não vai se espalhar no Burundi. Se eles estão certos ou não, só o tempo vai dizer. O que sabemos é que o país tem uma morte por coronavírus e era porque se tratava de uma pessoa debilitada por um câncer", afirmou Sota. 

Para conter o avanço do coronavírus no país, o governo local espalhou baldes de água para a higiene das mãos e reforçou a presença de funcionários para controlar a temperatura das pessoas. Qualquer pessoa com caso suspeito da doença, poderá ser levada ao hospital mesmo de forma obrigatória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.