Eric Gaillard/Reuters
Eric Gaillard/Reuters

Liga Portuguesa elogia colaboração de investigados após Operação Fora de Jogo

Jogadores como Cristiano Ronaldo e Casillas foram acusados de crimes fiscais no âmbito da operação

Redação, Estadão Conteúdo

05 de março de 2020 | 18h27

O futebol em Portugal viveu nesta semana um período conturbado com a realização da Operação Fora de Jogo, que investiga crimes fiscais relacionados com transferências de atletas a partir de 2015. Representantes do Ministério Público e da Autoridade Tributária do país fizeram buscas em clubes, escritórios de advocacia e até em residências de jogadores, principalmente dos três maiores times: Porto, Benfica e Sporting Lisboa.

Ao todo são 47 investigados entre clubes, jogadores e agentes. Dos nomes mais conhecidos estão o empresário Jorge Mendes, que agencia o atacante Cristiano Ronaldo, e o goleiro espanhol Iker Casillas, que recentemente deixou o Porto. "Coloquei-me à inteira disposição deles. A transparência é um dos meus princípios", escreveu o campeão mundial em 2010 em suas redes sociais.

Nesta quinta-feira, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) elogiou a postura de cooperação dos clubes e jogadores investigados pela operação. A entidade pede ainda celeridade na atuação do Ministério Público e da Autoridade Tributária neste caso.

"No seguimento da 'Operação Fora de Jogo', levada a cabo pelo Ministério Público e pela Autoridade Tributária, a Liga não pode deixar de registrar a correção da postura de cooperação evidenciada pelos responsáveis das sociedades desportivas (clubes) e jogadores de futebol visados pela mesma. A Liga Portugal espera celeridade de atuação das entidades pois o tempo da Justiça tem de ser eficiente", informou a LPFP, em comunicado oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.