Liga sai em dez dias, diz Melles

O presidente Fernando Henrique Cardoso vai assinar em, no máximo, dez dias, decreto que regulamenta a criação das Ligas de Futebol no Brasil. A promessa foi feita nesta segunda-feira pelo ministro do Esporte e Turismo, Carlos Melles, que ainda ironizou a reunião das Federações Estaduais de Futebol, realizada à tarde, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Melles disse não temer qualquer tipo de problema para a oficialização das ligas, cujo projeto segue padrões europeus aprovados pela Fifa."Tudo foi elaborado dentro do que combinei com os notáveis (o presidente da CBF, Ricardo Teixeira; o presidente de Honra da Fifa, João Havelange; o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff; e o ex-jogador Pelé) no dia 13 de março", disse hoje Melles, confirmando que tem o apoio de todos para a regulamentação das ligas, durante cerimônia na sede do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).À porta da CBF, o presidente da Federação de Futebol do Rio, Eduardo Viana, deixou claro que as federações estudam a possibilidade de recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir a criação das ligas. "O ministro é desinformado, ele quer impor uma medida inconstitucional, não vai conseguir", afirmou. As entidades estaduais discutiram na CBF uma estratégia para tentar inviabilizar a edição do decreto. Não deram mais detalhes sobre como isso seria feito.Antes, Melles havia desdenhado da reunião dos dirigentes ao saber que estava sendo conduzida por Eduardo Viana. "Quando o Viana está contra, fico satisfeito. Por quê? Porque eu estou do lado certo", afirmou Melles. O ministro voltou a ressaltar que o surgimento das ligas vai representar perda de poder da CBF no comando do futebol brasileiro.Melles assegurou que as novas entidades serão as responsáveis pela organização de todas as competições de futebol dentro do âmbito nacional, sejam brasileiras, regionais ou estaduais. Ele destacou que a total independência para as ligas já foi discutida e aceita por Ricardo Teixeira.No decreto que regulamentará a criação das ligas estão itens como a limitação a três anos da duração do mandato do presidente da entidade, assim como o direito de reeleger-se uma só vez; a exigência de que os sócios (clubes) publiquem seus balanços contábeis; e a garantia de que haverá o acesso e descenso nas competições organizadas pela Liga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.