Liminar anula eleição de Ricardo Teixeira

A reeleição de Ricardo Teixeira à presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pode não ter valido nada. Ele fez festa para comemorar a vitória por 46 votos contra 1 do opositor Carlos Alberto Oliveira, no pleito realizado no início da tarde desta quarta-feira na sede da entidade. Mas uma liminar concedida pelo juiz Jair José Varão Pinto Júnior, da 8ª Vara Cível da Justiça de Minas Gerais tornou nulo o pleito. "Nós temos uma liminar garantindo a eleição. Vai haver um conflito jurídico", admitiu Teixeira, após almoço com seus correligionários numa churrascaria do Rio.O juiz determinou a reabertura do prazo de inscrição de chapas por mais quinze dias e obrigou a CBF a aceitar como votantes todos os clubes de futebol do País, filiados à entidade, assim como as entidades municipais de administração do futebol. A liminar foi concedida a Itamar Vasconcelos Dias, um conselheiro do Atlético-MG, na noite de terça-feira. O teor da decisão foi comunicado à CBF quando a eleição estava em curso. Para Pinto Júnior, a eleição não tem validade. "Independentemente do resultado do pleito, o que vale é a minha sentença."Eleição - Dos 51 votantes, dois se ausentaram da Assembléia-Geral - Flamengo e Vasco. O primeiro, representado pelo seu presidente Hélio Ferraz, chegou atrasado à eleição. "Ainda tem tempo? Já acabou?" indagou ao presidente da Federação de Futebol do Rio, Eduardo Viana, na entrada do prédio da CBF. "Meu caro, todo mundo sabia do horário", repreendeu Viana. O São Paulo votou em branco e o Vitória-BA anulou o voto.Uma curiosidade marcou o processo eleitoral. As credenciais entregues a jornalistas e votantes trazia no cordão amarelo e verde o nome de Ricardo Teixeira. Para Oliveira, o mais interessante foi evitar que seu adversário fosse aclamado pela quinta vez presidente da CBF. "Pernambuco marcou posição." No final da tarde, em entrevista coletiva, Teixeira minimizou a ação do juiz da 8ª Vara Cível de Minas e previu uma nova gestão coroada de êxitos. "Vou sair da CBF quando a Fifa confirmar a Copa do Mundo de 2014 no País", afirmou. (colaborou Eduardo Kattah)

Agencia Estado,

09 de julho de 2003 | 19h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.