Liminar não muda caso Fla/Gamarra

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) concedeu nesta quinta-feira uma liminar garantindo a liberação do zagueiro Gamarra para que ele possa atuar pela Inter de Milão. O vice-presidente Jurídico do Flamengo, Carlos Portinho, disse que a decisão foi desnecessária porque o clube já havia liberado o atleta após selar um acordo com a diretoria do time italiano. "A diretoria da Inter reconheceu que o Flamengo ainda era dono dos direitos federativos do jogador e decidiu fazer um acordo conosco", explicou Carlos Portinho. "Essa liminar é desnecessária porque a CBF já havia emitido os documentos liberando o Gamarra." O dirigente também destacou que o acordo diz respeito ao clube italiano e não ao atleta. "O Gamarra ainda tinha contrato com o Flamengo e abandonou o emprego. O processo continua na Justiça e queremos uma indenização do jogador", afirmou Carlos Portinho. Segundo o dirigente, o Flamengo usará o dinheiro que receberá da Inter por Gamarra (US$ 1 milhão) para pagar salários atrasados e prêmios.

Agencia Estado,

08 Agosto 2002 | 19h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.