Paulo Liebert/Estadão
Paulo Liebert/Estadão

Liminar suspende patrocínio da Caixa ao Corinthians

Advogado diz que um banco público deveria gastar dinheiro em publicidade apenas com caráter educativo e informativo

Agência Estado

28 de fevereiro de 2013 | 21h25

SÃO PAULO - O pagamento do patrocínio da Caixa Econômica Federal ao Corinthians está suspenso por tempo indeterminado, de acordo com liminar concedida pela 6ª Vara do Tribunal Federal do Rio Grande do Sul. Isso aconteceu por meio de uma ação popular ajuizada pelo advogado gaúcho Antônio Beiriz, que vê na relação do clube com o banco público questões irregulares. A justificativa do advogado para entrar com a ação é que um banco público deve gastar dinheiro em publicidade apenas com caráter educativo e informativo. Beiriz entende que a dobradinha da Caixa com o Corinthians não tem esse caráter.

"Estampar o nome da Caixa na camisa de um time de futebol não representa nada para o banco. A Caixa não passa a ser conhecida por isso. Ela já é conhecida no Brasil todo", disse Antônio Beiriz, em entrevista para a rádio Globo. "Desde que este patrocínio saiu na imprensa, no fim do ano passado, eu entrei com uma ação para ter as informações sobre a parceria. A Caixa nunca me tirou estas dúvidas. Isso me autoriza então a entrar na Justiça", completou o advogado, que é torcedor do Grêmio.

O Corinthians diz que ainda não foi notificado sobre o assunto. A Caixa também não. O acordo de patrocínio do banco federal foi assinado em novembro de 2012. Até o fim daquela temporada, o clube paulista recebeu R$ 1 milhão. O acordo previa que a Caixa desembolsaria outros R$ 30 milhões ao longo deste ano. O acordo foi firmado até dezembro com a possibilidade de renovação por mais 12 meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.