Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Limitação no Paulista faz Palmeiras deixar fora R$ 50 milhões em reforços

Com apenas 26 vagas no torneio, clube não inscreve atletas por quem investiu pesado na contratação

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2019 | 04h30

A inscrição do atacante Ricardo Goulart no Campeonato Paulista fechou a relação dos 26 jogadores do Palmeiras aptos para a disputa da competição e obrigou o clube a deixar fora do torneio reforços trazidos a preço alto. Os seis atletas descartados neste primeiro momento exigiram da diretoria o investimento de cerca de R$ 50 milhões para chegarem à equipe.

O zagueiro Juninho, o lateral-direito Fabiano, o volante Matheus Fernandes, os meias Guerra e Hyoran e o atacante Arthur Cabral foram comprados pelo Palmeiras ao longo dos dois últimos anos. O mais caro deles foi o ex-botafoguense Matheus Fernandes, trazido em dezembro do ano passado por cerca de R$ 15,5 milhões.

O elenco do Palmeiras conta ainda com mais um jogador deixado fora do Paulista, mas por questões médicas. O atacante Willian se recupera de cirurgia no joelho direito e só deve voltar a atuar no meio do ano. Não fosse o problema, ele estaria entre os inscritos – Willian foi o palmeirense que mais atuou no ano passado.

O sexteto deixado de fora do Paulista continua treinando junto com o restante do elenco na Academia de Futebol. Apesar do grupo de jogadores estarem na mesma condição de espera, cada um está com condições e perspectivas diferentes de utilização futura.

Por terem somente 20 anos, Matheus Fernandes e Arthur Cabral são avaliados pelo clube como jogadores de potencial futuro. A ausência deles na lista não significa falta de prestígio e sim uma oportunidade para que ganhem experiência. A comissão técnica fará com os dois um trabalho de adaptação ao Palmeiras e pretende utilizá-los em breve.

Arthur, inclusive, chegou a disputar com Goulart a oportunidade de ser inscrito na última vaga do Campeonato Paulista. O jogador trazido do Ceará por R$ 5,5 milhões está em recuperação de um problema no púbis. O centroavante pode ganhar oportunidade na sequência da temporada até mesmo pelo fato de Deyverson se envolver frequentemente em questões disciplinares.

Com Matheus Fernandes o planejamento é parecido. O reforço atua como segundo volante, papel muito concorrido no elenco. Como a inscrição para a Copa Libertadores possibilita a inclusão de 30 nomes, a chance de ele ser contemplado é grande.

O próprio técnico Luiz Felipe Scolari lamenta ter de deixar fora tantas opções. O elenco atual tem 33 nomes, já que atletas como Érik e o garoto Yan foram emprestados nas últimas semanas. "Eu estou sempre pedindo desculpas para os jogadores que não consigo inscrever. Tendo 30 vagas é normal, mas 26, para uma equipe que disputa setenta jogos no ano, é difícil. Então sempre peço desculpas para aqueles jogadores, e vai ter que ser assim", disse o treinador.

O terceiro nome a ter boas chances de ganhar oportunidade é o zagueiro Juninho. O jogador custou R$ 10 milhões em 2017, aportados pela Crefisa, e no ano passado esteve emprestado ao Atlético-MG. Como é um defensor canhoto e que atua também como lateral-esquerdo, está bem avaliado.

Já a condição dos outros três nomes é uma incógnita. Em janeiro, o técnico Felipão e o diretor de futebol Alexandre Mattos manifestaram o plano de reduzir do elenco do Palmeiras para no máximo 30 jogadores. Portanto, o trio formado por Fabiano, Guerra e Hyoran é favorito a ser incluído em alguma negociação futura.

Fabiano e Guerra têm em comum o fato de terem sido contratados também com recursos da Crefisa. A venda dos dois, portanto, seria uma maneira de abater a dívida com a empresa responsável pela contratação da dupla. Juntos, os dois custaram cerca de R$ 17,7 milhões.

Autor do gol do título brasileiro de 2016, Fabiano esteve emprestado ao Inter no ano passado e por pouco não foi comprado de vez pelo clube gaúcho. A diretoria colorada chegou a fazer tentativas na última janela de transferências, porém nenhuma agradou ao Palmeiras.

O venezuelano Guerra também despertou interesse de outras equipes. Escolhido como craque da Copa Libertadores 2016, ele recebeu sondagens do Cerro Porteño, do Paraguai, e do Junior Barranquilla, da Colômbia. Nenhum dos contatos, porém, pareceu vantajoso.

Hyoran esteve no radar de Fluminense e Botafogo. As investidas não prosperaram. O jogador de 25 anos também ficou fora da lista inicial de inscritos para o Paulista nos dois últimos anos e no ano passado chegou a ter uma sequência com Felipão no Campeonato Brasileiro.

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.