Lindoso minimiza reação do Botafogo no Brasileiro: 'Ainda não está tranquilo'

Clube alvinegro conseguiu deixar Z-4 após uma vitória e dois empates

Estadão Conteúdo

19 de julho de 2016 | 20h01

A sequência de uma vitória e dois empates foi o suficiente para tirar o Botafogo da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A situação, no entanto, ainda preocupa os jogadores, pois o time ocupa o 15º lugar, com 17 pontos, a dois de voltar para o grupo dos quatro piores.

Na reapresentação do elenco após o empate por 3 a 3 no clássico com o Flamengo, no estádio Luso-Brasileiro, o volante Lindoso falou que o time ainda precisa evoluir. "Foi bom sair do Z4, mas ainda não está legal, ainda não está tranquilo. A equipe que a gente tem é para estar do meio da tabela para cima", comentou.

"Essa invencibilidade é importante. Empatar três é bom, mas ganhar duas e perder uma pontua mais. É o detalhe de a bola entrar e sairmos na frente, ficamos alguns jogos correndo atrás do resultado", completou o volante.

O Botafogo volta a campo contra a Chapecoense, domingo, às 16 horas, na Arena Condá, em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O adversário soma 19 pontos, apenas dois a mais do que o time alvinegro. Segundo Lindoso, exigirá um esforço extra, pois é um adversário direto na classificação.

"Eles têm uma equipe forte lá dentro, a gente tem que cada dia procurar evoluir. É ter um pouquinho mais de capricho na frente e lá atrás organizar porque estamos tomando gols de bobeira. Se estivermos concentrados, acho que conseguimos vir com um bom resultado de lá", finalizou o jogador.

No treino desta terça-feira, o técnico Ricardo Gomes não contou com Pimpão, que sentiu a coxa esquerda durante o clássico, e Gegê, que levou uma pancada no tornozelo direito contra o Bragantino, pela Copa do Brasil. Os dois serão avaliados pelo departamento médico para saber se terão condições de treinar na quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.