Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Andrew Couldridge/Reuters
Andrew Couldridge/Reuters

Lingard faz dois, De Gea brilha e Manchester United vence o Arsenal no Inglês

Com triunfo, equipe comandada por José Mourinho fica a cinco pontos do líder Manchester City

Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2017 | 17h46

Arsenal e Manchester United protagonizaram neste sábado um clássico digno de suas histórias. Melhor para o time do técnico português José Mourinho, que soube aproveitar os vacilos do adversário, foi letal nos contra-ataques e ganhou por 3 a 1, no Emirates Stadium, em Londres, pela 15.ª rodada do Campeonato Inglês.

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Inglês

+ Chelsea bate o Newcastle de virada e mantém perseguição ao City no Inglês

Destaque para a atuação do meia Lingard, autor de dois gols. Mas o nome da partida foi o goleiro espanhol De Gea, responsável direto pela derrota do Arsenal ao fazer, no mínimo, três defesas brilhantes.

O bom resultado fora de casa manteve o Manchester United na perseguição de seu maior rival: está em segundo com 35 pontos, cinco atrás do líder Manchester City, que recebe o West Ham neste domingo. Já o Arsenal segue com 28, agora em quinto.

Precisando vencer neste sábado para não deixar o rival escapar ainda mais na liderança, o Manchester United foi preciso no início do jogo ao aproveitar dois erros adversários e fazer 2 a 0 em apenas 10 minutos.

O Arsenal ainda se organizava em campo quando, aos quatro minutos, Koscielny tentou virar o jogo e errou. Antonio Valencia, então, dominou, tabelou com Pogba e chutou rasteiro. A bola ainda passou entre as pernas do goleiro Petr Cech antes de entrar.

Seis minutos depois foi a vez de Mustafi perder a bola. E o Manchester United penalizou o vacilo com um golaço: Lukaku tocou, Martial dominou, girou e deu passe espetacular para Lingard tocar na saída de Petr Cech.

Em larga desvantagem, enfim o Arsenal começou a jogar. Pressionou o Manchester United, criou chances sucessivas e parou na brilhante atuação do goleiro espanhol, grande destaque do clássico. E a principal chance veio aos 31 minutos, quando Alexis Sánchez recebeu e rolou para Lacazette acertar chute forte, que De Gea espalmou para o travessão. No rebote, ainda dentro da área, Kolasinac bateu rente à trave.

Tamanha pressão surtiu efeito aos três minutos do segundo tempo: após receber lançamento, Ramsey deu um toque sutil para trás, de primeira. Sozinho quase na pequena área, sem qualquer marcação, Lacazette só tocou no canto.

O duelo, então, se tornou alucinante. E os goleiros dominaram a atenção. Aos seis, Lingard recebeu sozinho, bateu e Petr Cech espalmou para a trave. E, apenas quatro minutos depois, De Gea fez milagre em duas finalizações seguidas, dentro da área, de Lacazette e Sánchez.

Quando o Arsenal se aproximava do empate, o Manchester United foi letal em mais um contra-ataque. Aos 18 minutos, após receber passe de Lukaku, Lingard avançou pela intermediária e abriu para Pogba. Bem marcado, o francês prendeu a bola, esperou o melhor momento e cruzou rasteiro para o próprio meia, sozinho, empurrar para o gol.

Pogba ainda deu solada em Bellerín e foi expulso aos 28 minutos. Mas o Manchester United, enfim, soube diminuir o ritmo do jogo, segurou o Arsenal e confirmou a importante vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.