Arquivo/AE
Arquivo/AE

Lionel Messi diz que aceita ser o 'Maradona' da Argentina

Técnico conta com o atacante do Barcelona para a recuperação da sua seleção nas Eliminatórias da Copa

EFE

17 de agosto de 2009 | 10h53

O atacante Lionel Messi, que atua no Barcelona, disse que aceita ser o "Maradona" da seleção da Argentina, como pede justamente o técnico Diego Maradona, e que gosta de ter a confiança de quem lhe pede que seja o eixo criativo da equipe e que tome as decisões em campo.

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"O que Diego [Maradona] diz me faz sentir tranquilo e orgulhoso. Gosto de ter sua confiança, fico muito feliz", disse o jogador ao jornal esportivo Olé, de Buenos Aires.

 

"Messi é meu Maradona, não há um jogador mais importante do que ele", disse recentemente o técnico da seleção argentina, no momento em que prepara a estratégia para o jogo das eliminatórias para a Copa de 2010 contra o Brasil, em 5 de setembro.

"Para mim, é uma satisfação muito grande que Diego diga isso", disse o atacante. "Todo o tempo, me pede que jogue, que tenha a bola, que não me perca na partida. Que esteja como no Barcelona", acrescentou.

Sobre se está em condições de fazer o que Maradona espera dele, Messi afirmou que "sim, não tenho nenhum problema", e que aceita a responsabilidade de ser o "Maradona" da seleção argentina.

 

O treinador do Barcelona, Josep Guardiola, confirmou há dois dias que deu permissão a Messi para que não participe da primeira rodada do Campeonato Espanhol, em 31 de agosto, e possa ir à Argentina com tempo suficiente para se preparar para o confronto contra o Brasil.

 

O técnico do Barça lembrou que o jogo contra a seleção brasileira na cidade natal de Messi "é importante" e prometeu que, ao voltar "Messi continuará nos ajudando".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.