Lippi depõe e agora espera pensar somente na Copa

O técnico da seleção da Itália, Marcelo Lippi, disse nesta sexta-feira que espera poder se concentrar apenas na Copa do Mundo, depois de prestar depoimento durante três horas e meia aos promotores que investigam o escândalo de tráfico de influência no futebol italiano.Lippi aparece em conversas gravadas de Luciano Moggi, ex-diretor da Juventus, que é acusado de interferir nas convocações da seleção - Lippi seria pressionado para poupar jogadores de seu antigo clube, cansados pelo excesso de jogos, e, por outro lado, para convocar atletas agenciados pela emprsa GEA World, que pertence a seu filho, Davide, em sociedade com Alessandro Moggi, filho de Luciano.O treinador não quis falar sobre o conteúdo de seu depoimento, mas ironizou o fato de ter sido flagrado em conversas com Moggi. "Trabalhamos juntos por oito anos, que surpresa há em conversarmos pelo telefone? Converso com dirigentes de todos os clubes, mas ninguém me pressionou", afirmou Lippi.O escândalo atinge vários clubes, principalmente a Juventus, e envolve também pressões e suborno na escalação de árbitros. O time de Turim, que corre o risco de perder os dois títulos italianos, conquistados em 2005 e 2006, já começou a arcar com conseqüências financeiras do caso: suas ações na Bolsa de Valores de Milão atingiram nesta sexta-feira a cotação mais baixa nos últimos três anos, com cerca de 12% de queda num só dia.Ao sair da depoimento, Marcelo Lippi se disse aliviado. "De agora em diante, só quero pensar na seleção", afirmou Lippi, que falou como testemunha, e não como investigado. A delegação da Itália, que treinou em Roma nesta semana, se reúne a partir de segunda-feira num centro de treinamentos perto de Florença.A Itália estréia no Mundial no dia 12 de junho, em Hannover, contra Gana. Antes, realiza dois amistosos na Suíça, contra os donos da casa, no dia 31, em Genebra, e em 2 de junho, em Lausanne, diante da Ucrânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.