Reprodução Twitter Guarani
Reprodução Twitter Guarani

Lisca diz que o Guarani precisa ter um time para evitar rebaixamento

Treinador foi apresentado oficialmente pelo clube nesta segunda-feira

Estadão Conteúdo

09 Outubro 2017 | 21h22

Ameaçado pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série B, o Guarani adotou uma linha diferente de comando. Nesta segunda-feira apresentou o técnico Lisca com a missão de evitar a volta para a Série C, de onde veio no ano passado. O treinador mostrou confiança no seu taco, garantindo que vai se dedicar 24 horas por dia ao clube e que o maior problema é ter um time.

+ Guarani apela para Lisca como técnico para evitar queda na Série B

Escolhido para substituir Marcelo Cabo, demitido após a derrota pro 3 a 0 para o Oeste, na Arena Barueri, em Barueri (SP), no último sábado, Lisca foi bastante claro em suas posições. "O Guarani é um grande clube, tem bons jogadores, mas não tem um time". Mas ele mostrou não temer o rebaixamento, embora o time ocupe a 15.ª posição, com 34 pontos. "Não há motivo para desespero porque sete ou oito clubes estão nesta briga contra o descenso", avaliou o técnico chamado no meio do futebol de Lisca Doído.

Usou de seus conceitos budistas para explicar a situação de momento do clube. "A gente só curte a vida quando a gente aceita a morte. Daí os pequenos detalhes começam a valer a pena como um sorriso, um abraço. Agora caiu a ficha do Guarani, por isso estou aqui".

Mas ele já vinha acompanhando bem a Série B, afinal dirigiu o Paraná por sete rodadas. Agora faltam 10 e existe a exigência de uma mudança radical de postura e de resultados. "Se não mudarmos, vamos cair. É preciso ter um time forte, unido, determinado e que vença", concluiu.

O Guarani volta a campo neste sábado diante do vice-lanterna Náutico, às 19 horas, no estádio Lacerdão, em Caruaru (PE), pela 29.ª rodada. A semana promete ser de muitas emoções pelo lado do estádio Brinco de Ouro da Princesa.

Junto com Lisca se apresentaram o auxiliar Márcio Hahn, ex-volante gaúcho que já atuou em clubes paulistas como Portuguesa e São Caetano, entre outros, e o preparador físico Marcelo Roni, ex-Juventude. Foi confirmada a saída de Anaílson Neves do cargo de superintendente de futebol, função que será acumulada por Luciano Dias, auxiliar técnico fixo do clube.

Mais conteúdo sobre:
Guarani Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.