Reprodução: TV Globo
Reprodução: TV Globo

Lisca explica comemoração após eliminar o Corinthians: 'Quarta seguida em cima deles'

Treinador exaltou seu trabalho no América-MG e lembrou que vive uma sequência invicta contra o time paulista

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2020 | 11h12

Após vencer o Corinthians por 1 a 0, na Neo Química Arena, igualar o placar, em casa, e avançar para às quartas de final da Copa do Brasil, o técnico Lisca, do América-MG, não conseguiu conter a euforia. Assim que viu o árbitro Wagner do Nascimento apontar para o centro do gramado e decretar o fim da partida, ele olhou para a câmera de TV mais próxima, levantou quatro dedos da mão e disse: "é a quarta seguida em cima deles (Corinthians)".

Durante a coletiva de imprensa, Lisca foi questionado sobre o gesto. "Quarta vez é porque nos últimos quatro encontros com o Corinthians, eu ganhei dois com o Ceará, um com o América e esse foi empate com sabor de vitória. É para as pessoas se atentarem, falam que o cara é doido, e acabam não vendo o trabalho que a gente faz. E vamos tendo um sucesso bem legal contra times grandes. Foi isso, de valorizar o trabalho", explicou. 

A primeira da sequência que ele se refere aconteceu em setembro de 2018, pelo Brasileirão. Na ocasião, ele comandava o Ceará, que venceu o time paulista por 2 a 1. A segunda foi pela Copa do Brasil de 2019. Ele venceu o Alvinegro no jogo de volta por 1 a 0, mas perdeu no de ida por 3 a 1, interrompendo o que poderia vir a ser uma sequência de três vitórias seguidas, já que o América igualou o placar nesta quarta-feira por 1 a 1.

O treinador afirmou que o empate tem gosto de vitória. A derrota por 3 a 1, por sua vez, caiu em esquecimento. "Quarta vez é porque nos últimos quatro encontros com o Corinthians, eu ganhei dois com o Ceará, um com o América e esse foi empate com sabor de vitória", explicou seu raciocínio.

Lisca ainda fez questão de valorizar seu trabalho no América, que, segundo ele, por vezes, é ofuscado. O time faz boa campanha na Série B, ocupa a terceira colocação, e está vivo na Copa do Brasil. "É para as pessoas se atentarem, falam que o cara é doido, e acabam não vendo o trabalho que a gente faz. E vamos tendo um sucesso bem legal contra times grandes. Foi isso, de valorizar o trabalho", disse o treinador, que saiu do Independência ovacionado pela torcida alviverde. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.