Jon Super/AP
Jon Super/AP

Liverpool e Chelsea empatam na Copa da Liga Inglesa

Reds pressionaram do começo ao fim do jogo, mas equipe do técnico José Mourinho conquistou bom resultado

O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2015 | 20h01

O Liverpool martelou um dos seus maiores rivais, o Chelsea. O time de Steven Gerrard foi melhor durante boa parte dos 90 minutos, mas quando a fase não é boa, nada dá certo. Em uma das poucas vezes que foi incomodada, logo no início, a equipe levou o primeiro gol e depois precisou correr atrás para garantir, ao menos, o empate por 1 a 1, no Anfield Road, pelo jogo de ida da semifinal da Copa da Liga Inglesa.

Com o resultado, tudo fica aberto para o jogo de volta, que acontecerá na terça-feira que vem, em Stamford Bridge. Quem vencer, vai à decisão em Wembley, contra o vencedor do duelo entre Tottenham e Sheffield United. Um novo empate, por qualquer placar, leva o jogo para a prorrogação.

O começo de jogo foi do Liverpool, que teve bons momentos com Sterling e Gerrard nos primeiros 15 minutos. Mas quando o Chelsea estava mais acuado, encontrou o primeiro gol. Aos 17, Hazard recebeu pela esquerda e ao tentar o drible foi calçado por Emre Can. O próprio belga cobrou o pênalti, com estilo, deslocando o goleiro, para marcar.

O gol diminuiu o ritmo do Liverpool, enquanto o Chelsea seguia longe de seus melhores dias. O jogo ficou truncado, muito disputado no meio de campo e sem grandes chances de ambos os lados. Somente Philippe Coutinho, pelo Liverpool, teve um novo bom momento antes do intervalo, quando tentou arriscar de longe e mandou para fora.

O técnico Brendan Rodgers deve ter dado um chacoalhão em seus comandados no intervalo, porque o Liverpool voltou bem melhor para a etapa final. Logo aos oito, Sterling perdeu bom momento. Mas aos 14, ele mesmo deixaria tudo igual. O meia recebeu na intermediária, girou e aproveitou a velocidade para invadir a área e bater firme para a rede.

A partir daí, o que se viu foi um treino de ataque contra defesa. Acuado, o Chelsea assistia ao jogo do Liverpool, que dominava completamente as ações. Aos 21, Gerrard recebeu na entrada da área e bateu colocado, na trave. Aos 29, ele mesmo tentou de longe, desta vez exigindo boa defesa de Courtois, que ainda agarrou a finalização de Sterling no rebote.

O Liverpool não queria saber de sair sem a vantagem, mas encontrava uma muralha pela frente. Aos 34, Lallana aproveitou sobra na entrada da área e encheu o pé de esquerda, mas Courtois voou, se esticou todo e desviou com a ponta do dedo para fazer linda defesa na última grande chance do jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.