Nacho Doce/Reuters
Nacho Doce/Reuters

Livre, jornalista preso em confusão na Arena Corinthians desabafa: 'Foram 14 horas de  terror'

Christopher Antúnez foi detido por não conseguir comprovar que estava no meio da confusão trabalhando

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2017 | 15h04

O jornalista chileno Cristopher Antúnez, de 26 anos, preso pela Polícia Militar durante a confusão na partida entre Corinthians e Universidad de Chile foi liberado nesta quinta-feira, após mais de 12 horas de detenção. Uma jovem chilena também foi liberada e continuam detidos outros 24 torcedores, que foram indiciados e autuados em flagrante por desacato e lesão corporal. 

Em sua página no Twitter, Antúnez comemorou a liberdade. "Obrigado por tantas saudações e preocupação. 14 horas de terror que não se deseja a ninguém. Eu só estava fazendo o meu trabalho", desabafou. 

Antúnez estava nas cabines de imprensa da Arena Corinthians e desceu até as arquibancadas para registrar a confusão entre torcedores e policiais. Durante a confusão, ele foi abordado pela PM e mesmo afirmando que era jornalista, foi detido por não ter como comprovar sua profissão. 

Segundo informações vindas do 24º Distrito Policial, em Água Rasa, zona leste de São Paulo, os demais torcedores continuam dando depoimento e não há previsão de quando serão liberados ou encaminhados para o Fórum Criminal da Barra Funda, onde serão julgados. 

A BRIGA

A briga começou antes de a bola rolar e se intensificou no intervalo do jogo pela Sul-Americana. Inicialmente, chilenos arrancaram cadeiras da arena para atirá-las contra os corintianos. Depois, eles atiraram esses assentos destruídos nos próprios policiais, que se valeram da truculência no revide para organizar a confusão. No intervalo do primeiro para o segundo tempo, a PM prendeu cinco torcedores que teriam iniciado o quebra-quebra. A ação irritou os demais chilenos, que partiram para cima dos policiais e saíram quebrando tudo que viam pelo caminho.

O Corinthians pretende reparar todos os danos até domingo, quando recebe o Botafogo de Ribeirão Preto pelo Campeonato Paulista. Vai cobrar os valores da diretoria da Universidad de Chile. Caso o clube chileno não coopere, o time brasileiro já prometeu acionar a Conmebol, que organiza o torneio, e pedir punição ao adversário. O jogo da volta está marcado para maio. O Corinthians poderá perder por um gol de diferença para se classificar.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.