Livro-caixa do Vasco está sumido

Os documentos contábeis do Vasco da Gama apreendidos na semana passada pela CPI do Futebol estão desde hoje guardados numa sala lacrada da comissão. A documentação chegou ao Senado incompleta. De acordo com assessores, falta o livro-caixa do clube, onde estariam relacionados as despesas e as fontes de receita do Vasco. O presidente do Vasco, deputado Eurico Miranda (PPB-RJ), informou a agentes da Polícia Federal que participaram da operação de apreensão que o livro foi levado por auditores da Receita Federal. Mas, técnicos do órgão desmentiram a informação. Mesmo incompleta, a documentação já mostrou à CPI que os dirigentes do Vasco movimentam recursos na conta de outros "laranjas", além do funcionário Aremithas Lima. Os papéis, acondicionados nas 38 caixas retiradas do clube, quinta-feira passada, foram transferidas para 10 caixas maiores no deslocamento, por avião, para Brasília. Autorizada pela Justiça, a operação de resgate da documentação do Vasco foi feita para proporcionar à CPI os dados que Eurico Miranda se recusava em ceder. Apesar do sigilo que antecedeu sua realização, a informação escapou para Eurico que procurou se valer da sua condição de deputado para impedir o acesso ao clube dos policiais federais e de assessores da CPI. Ele tentou obter da justiça um despacho para sustar o mandado de busca e apreensão da comissão, mas não conseguiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.