Reprodução
Reprodução

Livro conta a história do Internacional a partir de cada um dos dias do ano

'Inter - Hoje e Sempre' é o 2.º volume de coleção que pretende contar a história de grandes clubes

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2013 | 18h14

SÃO PAULO - A história de 104 anos do Internacional contada a partir de cada um dos 366 dias do ano - há um fato também para o dia 29 de fevereiro de 1984. Essa é a ideia do livro Inter - Hoje e Sempre, escrito pelos jornalistas Daniel Cassol e Douglas Ceconello. Lançada este mês em Porto Alegre, a obra é o segundo volume da Coleção Impedimento, uma parceria do site Impedimento e a editora Dublinense que pretende contar a história em datas de alguns dos principais clubes brasileiros.

Grande rival do Inter, o Grêmio foi o primeiro a ter um livro nesses moldes. A obra foi escrita pelo publicitário Fernando Leite e pelo jornalista Vicente Fonseca, ambos colaboradores do site Impedimento. Quatro jornalistas também já trabalham na produção dos livros de Palmeiras e Corinthians, mas, em função da profundidade da pesquisa histórica, não existe previsão de lançamento.

INTER

Dividido em meses, o livro traz fatos marcantes e relatos de personagens históricos do Internacional. Fernando Carvalho, presidente no período mais vitorioso do clube, abre o capítulo sobre janeiro; Larry, atacante que marcou quatro gols no clássico Gre-Nal de inauguração do estádio Olímpico, em 1954, está no mês de março; e Figueroa, zagueiro chileno autor do "gol iluminado" no título do Brasileiro de 1975, é o personagem do mês de outubro.

Pelas contas de Ceconello, a obra de 240 páginas levou dois anos para ser produzida. "O mais difícil foi bater as datas, porque mesmo em documentos oficiais do clube havia dúvida em algumas delas", relata. "A gente procurou sempre ter no mínimo duas fontes para confirmar cada uma das datas. Nesse sentido, o trabalho de apuração no museu Hipólito José da Costa, que tem um acervo muito grande de jornais, foi bem importante."

Todos os 366 dias do ano possuem algum fato lembrado. E mesmo datas historicamente ruins em termos de futebol, como o período das festas de fim de ano, acabaram ganhando destaque. "A gente descobriu que o Inter ganhou um Citadino em cima do Grêmio no fim de dezembro de 1950. Foi o primeiro título do clube depois da saída do Tesourinha, um atacante que tem uma história muito importante no futebol do Rio Grande do Sul."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterlivro Inter Hoje e Sempre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.