Paulo Fernandes|Vasco|Divulgação
Paulo Fernandes|Vasco|Divulgação

Loco Abreu marca 400º gol na carreira, mas Vasco supera Bangu

Nenê faz gol olímpico no triunfo por 3 a 1 na Taça Guanabara

Thiago Rabelo, especial para a AE, Estadao Conteudo

02 Fevereiro 2017 | 18h46

O veterano Loco Abreu tentou colocar um pouco de crise no início de temporada do Vasco, mas o time cruzmaltino conseguiu se recuperar do 400º gol marcado pelo uruguaio e venceu o Bangu por 3 a 1, nesta quinta-feira, no estádio Moça Bonita. O triunfo pela segunda rodada da Taça Guanabara, a primeira fase do Campeonato Carioca, serviu para o clube aliviar a pressão após estrear no Estadual com derrota por 3 a 0, no clássico com o Fluminense.

Com a vitória, o Vasco deixou a lanterna para assumir a vice-liderança do grupo C, com três pontos. Para manter a reação, o time retorna a campo no domingo para enfrentar o Resende, no estádio São Januário, no Rio. O Bangu, com apenas um ponto e em busca do primeiro triunfo, pega o Volta Redonda no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, na segunda-feira.

A derrota para o rival tricolor deixou sequelas que o técnico Cristóvão Borges logo tentou corrigir. Sem Martín Silva, que não se recuperou de dores joelho, o treinador fez cinco mudanças. Além do goleiro, deixaram o time os laterais Madson e Henrique e os meias Andrezinho e Eder Luis para a entrada de Yago Pikachu, Alan, Evander e Guilherme Costa.

As mudanças, principalmente no meio de campo, surtiram efeito e deram mais liberdade para Nenê. Foi dos pés do camisa 10 que o time teve as melhores chances, em cruzamentos para Thalles e Rodrigo, que desperdiçaram. Aos 12, Nenê chutou de fora da área, a bola desviou e quase surpreendeu o goleiro Márcio.

O Vasco não corria riscos, mas o primeiro vacilo foi cruel. Aos 31, Peralta aproveitou a subida de Alan, entrou na área com liberdade e foi derrubado por Jordi. Pênalti. Loco Abreu foi para a cobrança e parou nas mãos do goleiro. A chance desperdiçada pelo Bangu animou o Vasco, que logo abriu o marcador. Aos 38, Nenê fez novo cruzamento, dessa vez na cabeça de Guilherme Costa, que fez 1 a 0.

O Vasco tentou manter a superioridade no segundo tempo, com os volantes bem avançados. Foi assim que Evander teve boa chance para ampliar, mas pegou mal na bola e isolou. O problema vascaíno era o jogo aéreo. Aos oito minutos, Guilherme levantou na área e Loco Abreu completou de cabeça para empatar: 1 a 1. Foi o 400º gol na carreira do uruguaio.

Com Julio dos Santos apagado, o técnico Cristóvão Borges lançou Bruno Gallo e ganhou mais força defensiva. O susto também não demorou muito. Aos 14 minutos, Nenê cobrou escanteio e Bruno Gallo acertou o travessão. No rebote, Thalles completou de cabeça e fez 2 a 1. Novamente com a vantagem, o Vasco buscou ampliar o resultado e não diminuiu o ritmo.

Recuado para que Alan atacasse, Yago Pikachu subiu poucas vezes ao ataque. Quando o fez, causou perigo, como no chute de fora da área que parou em Márcio. Nos minutos finais da partida, o time vascaíno sentiu o cansaço e deu espaço para o Bangu. Aos 35, Loco Abreu encontrou Matheus Pimenta. O atacante chutou forte e obrigou Jordi a fazer ótima defesa.

Melhor em campo, o meia Nenê estava atrás do seu primeiro gol, com tentativas ousadas. Uma delas foi em arremate do meio de campo, que foi defendido por Márcio. Aos 45, conseguiu. Em cobrança de escanteio, o camisa dez cobrou direto e pegou o goleiro desprevenido para fazer 3 a 1 e garantir a vitória vascaína no Carioca.

FICHA TÉCNICA:

BANGU 1 X 3 VASCO

BANGU - Márcio; Denilson, Leonardo Luiz, Anderson Pereira e Guilherme; Eroza (Marcos Vinícius), Raphael Augusto e Leandro Chaves; Bruno Luiz (Lorran), Peralta (Matheus Pimenta) e Loco Abreu. Técnico: Eduardo Allax.

VASCO - Jordi; Yago Pikachu, Luan, Rodrigo e Alan (Andrezinho); Julio dos Santos (Bruno Gallo), Evander, Escudero, Nenê e Guilherme Costa (Éderson); Thalles. Técnico: Cristóvão Borges.

GOLS - Guilherme Costa, aos 40 minutos do primeiro tempo. Loco Abreu, aos 8, Thalles, aos 14, e Nenê, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Lorran, Eroza e Denilson (Bangu); Evander, Alan, Jordi e Escudero (Vasco).

RENDA - R$ 84.240,00

PÚBLICO - 4.194 pagantes (4.884 no total).

ÁRBITRO - João Batista de Arruda.

LOCAL - Estádio Moça Bonita, em Bangu (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.