Roberto Custódio/ Cruzeiro
Roberto Custódio/ Cruzeiro

Londrina vence o Cruzeiro nos pênaltis e está na final da Primeira Liga

Com mais de 17 mil torcedores no Estádio do Café, time da casa empata no último minuto e sai com a vitória por 3 a 1

Estadao Conteudo

03 de setembro de 2017 | 14h02

De forma heroica, o Londrina está na final da Primeira Liga contra o Atlético Mineiro. Mesmo saindo atrás no placar, o time pressionou o Cruzeiro e contou com o apoio de mais de 17 mil torcedores no Estádio do Café, em Londrina, para buscar o empate por 2 a 2. A partida, então, foi para as cobranças de pênalti. E o goleiro César defendeu os chutes de Lucas Silva, Arthur e Alex, decretando a vitória por 3 a 1.

O resultado premiou o time que buscou o ataque durante todo o jogo. O Londrina acertou a trave de Rafael em duas oportunidades e só não venceu o duelo durante o tempo normal graças ao goleiro mineiro.

Expulso na vitória sobre o Grêmio nas quartas de final, Mano Menezes não pôde ficar no banco e teve que deixar a responsabilidade para o auxiliar Sidnei Lobo. Foi dele a decisão de deixar a braçadeira de capitão para Lucas Silva, que hoje pertence ao Real Madrid, mas está emprestado ao time mineiro. Em um time cheio de reservas, o volante se destacava.

Reginaldo, do Londrina, avançava bastante pelo lado direito e tinha dificuldade para recompor, deixando espaços para Bryan. Aos 19 minutos, ele recebeu na intermediária, viu que estava desmarcado e bateu, mas o goleiro César espalmou pela linha de fundo.

Na cobrança de escanteio, Rafinha levantou na primeira trave, Lucas Silva se antecipou e testou no outro canto. Foi o primeiro gol do volante desde que voltou ao Cruzeiro no início do ano.

Em vantagem, o técnico Sidnei Lobo recuou mais uma vez a marcação e esperou o Londrina no campo defensivo, à espera de um contra-ataque. Rafael, então, passou a salvar o Cruzeiro. Aos 39 minutos, Rômulo bateu de fora da área e o goleiro precisou se esticar para jogar pela linha de fundo. No lance seguinte, o Londrina levantou a bola e Edson Silva testou rente à trave.

Toda a pressão que o Londrina exerceu nos últimos instantes da primeira etapa caiu por terra no início do segundo tempo. Com apenas oito minutos, Alex saiu do banco de reservas para armar um contra-ataque e encontrar Élber livre pelo lado direito. O meia saiu frente a frente com César e bateu rasteiro, na trave. No rebote, a bola caiu nos pés de Sassá, que só mandou para as redes.

O gol, mais uma vez, fez com que o Cruzeiro recuasse. Aos 20, Rafael dividiu com Alisson Safira e acabou se chocando com o atacante. O goleiro ficou caído na pequena área sem nenhuma reação e preocupou a comissão técnica, mas depois de alguns minutos voltou para o jogo.

O time da casa subiu a marcação e tentou forçar um erro do Cruzeiro. Até que, aos 36, a pressão finalmente se converteu em gol. Marcinho recebeu pela esquerda, cruzou para a pequena área e Alisson Safira apareceu para testar no contrapé de Rafael. No lance seguinte, aos 38, Germano também experimentou uma finalização de fora da área e mais uma vez o travessão salvou o Cruzeiro. Parecia que o empate era só uma questão de tempo.

O jovem Artur, de apenas 19 anos, era um dos melhores jogadores do Londrina. Aos 41, ele tentou jogada individual pela direita, ganhou da marcação na velocidade e cruzou rasteiro para o meio da pequena área, mas ninguém apareceu para completar.

Diante das substituições no segundo tempo e do atendimento de Rafael, o árbitro Leandro Pedro Vuaden deu seis minutos de acréscimo. E o tempo foi o suficiente para o Londrina. Aos 50, Alisson Safira saiu da ponta direita, cortou a marcação para o meio e invadiu a área. O volante Vander tentou o desarme, mas acabou derrubando o atacante. No último lance do jogo, Germano deixou tudo igual em uma cobrança de pênalti.

Mas o grande herói do jogo apareceu apenas após o apito final. Nas cobranças de pênalti, César defendeu três: de Lucas Silva, Arthur e Alex. Do outro lado, Germano, Ayrton e Dirceu converteram e decretaram a muito comemorada vitória do Londrina.

O próximo compromisso do Cruzeiro é a final da Copa do Brasil. Na quinta-feira, às 21h45, o time de Mano Menezes enfrenta o Flamengo no Maracanã, no primeiro jogo da decisão. Pela Primeira Liga, a decisão com o Atlético-MG está marcada apenas para o dia 8 de outubro. O Londrina agora se prepara para enfrentar o Ceará no sábado, às 16h30, no estádio do Café, pela 23ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA

LONDRINA 2 X 2 CRUZEIRO

LONDRINA - César; Reginaldo, Dirceu, Edson Silva e Ayrton; Germano, Rômulo (Patrick Vieira), Jardel (Marcinho) e Celsinho (Alisson Safira); Artur e Carlos Henrique. Técnico: Cláudio Tencati.

CRUZEIRO - Rafael; Lennon, Digão, Arthur e Bryan; Nonoca, Lucas Silva, Rafinha, Messidoro (Alex) e Elber (Nickson); Sassá (Vander). Técnico: Sidnei Lobo (substituindo Mano Menezes).

GOLS - Lucas Silva, aos 19 minutos do primeiro tempo; Sassá, aos 8, Alisson Safira, aos 35, e Germano, aos 51 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (RS).

CARTÕES AMARELOS - Germano (Londrina); Lucas Silva (Cruzeiro).

PÚBLICO - 15.420 pagantes (17.061 pessoas).

RENDA - R$ 150.183,00.

LOCAL - Estádio do Café, em Londrina (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.