Longe de vaga na Copa, Polônia demite Leo Beenhakker

Praticamente fora da disputa por uma vaga na Copa do Mundo de 2010, a Polônia demitiu nesta quinta-feira o treinador holandês Leo Beenhakker, comandante da seleção nacional desde 2006. Na quarta, a equipe perdeu para a Eslovênia por 3 a 0, e caiu para o quinto lugar no Grupo 3 das Eliminatórias na Europa.

AE, Agencia Estado

10 Setembro 2009 | 09h02

Com o resultado, a Polônia tem 11 pontos em oito partidas, e está a oito da líder Eslováquia, grande favorita à conquista da única vaga direta da chave. O segundo lugar vai para a repescagem.

As chances polonesas de chegar ao Mundial são remotas: a equipe precisa vencer as duas partidas restantes, contra checos e eslovacos, e ainda torcer por uma combinação de resultados nas rodadas finais.

Entre os resultados pelos quais a Polônia deve torcer está um improvável tropeço da Eslovênia contra San Marino, seleção de pior campanha nas Eliminatórias, com nove derrotas em nove jogos, 44 gols contra e apenas um a favor. Por isso, os poloneses dão como certa a eliminação.

"Foi a última partida de Beenhakker na seleção. Ainda é cedo para citar nomes, mas é certo que o próximo técnico será polonês", disse Grzegorz Lato, maior craque da história do país, e atual presidente da Federação Polonesa de Futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.