Juan Mabromata/AFP
Juan Mabromata/AFP

Longe do ideal, seleção brasileira faz novas apostas

Partida contra o Paraguai será importante para Robinho e Coutinho

Almir Leite e Gonçalo Júnior, enviados especiais a Santiago, O Estado de S, Paulo

26 de junho de 2015 | 07h00

A seleção brasileira está longe de empolgar na Copa América. E também está longe de ser a equipe idealizada por Dunga. Ele não conta com quatro de seus titulares, entre eles o principal astro, Neymar. O lateral-direito Danilo e o volante Luiz Gustavo não disputam a competição por estarem contundidos. E Oscar nem foi convocado para poder estar bem fisicamente para as Eliminatórias.

Além disso, um reserva de Dunga, o lateral-esquerdo Marcelo, também não está no Chile por contusão. Tantos desfalques fizeram até o treinador mudar o discurso. “Não gosto de reclamar, mas perdemos cinco cotados para a titularidade e tivemos que dar experiência para aqueles que nunca tinham jogado a Copa América”, lamentou.

Normalmente, Dunga adota tom mais otimista. “Prefiro ver as coisas pelo lado bom. Perdemos alguns jogadores, mas em compensação outros tiveram a chance de ganhar experiência e teremos um grupo forte para as Eliminatórias da Copa.”

Ele já citou o meia Philippe Coutinho como um jogador que se encaixa nesse caso. Para Dunga, o fato de poder atuar com mais constância vai dar confiança ao jogador. Já o experiente Robinho está retomando a importância na equipe.

Ontem, a seleção fez um treino fechado no CT da Universidad de Chile, em Santiago. Hoje, treina já em Concepción, no estádio Ester Roa.

Tudo o que sabemos sobre:
Seleção BrasileiraCopa AméricaCBF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.