Lopes elogia volta de Alex à seleção

O meia Alex, do Palmeiras, vai ter sua primeira oportunidade na seleção depois do vexame do futebol brasileiro na Olimpíada de Sydney. Ele foi convocado hoje pelo técnico Emerson Leão para a partida contra o Equador, dia 28, em Quito, pelas Eliminatórias do Mundial de 2002. Alex vai ocupar a vaga de Robert, do Santos, afastado da equipe por causa de fratura em duas costelas. O coordenador-técnico da seleção, Antonio Lopes, lamentou a ausência de Robert, considerado pela comissão técnica da seleção como o mais importante jogador do Santos. Lopes queria saber hoje à tarde detalhes da contusão, preocupado com o tempo em que Robert deverá ficar fora das atividades. "Ele esteve muito bem nos poucos minutos em que atuou contra o México; é uma pena que isso ocorra agora." Apesar do tom de lamúria, Lopes enalteceu a figura de Alex e explicou que Leão resolveu convocar o jogador depois de sua ótima atuação na rodada do fim de semana, quando o Palmeiras goleou o União Barbarense por 5 a 1. "Ele tem um potencial excepcional", disse, referindo-se a Alex. O jogador do Palmeiras era um dos grandes trunfos do técnico Wanderley Luxemburgo para a conquista da medalha de ouro em Sydney. Ao lado de Ronaldinho Gaúcho, ostentava prestígio no grupo sub-23 e muitas vezes foi apontado como um dos que podiam desequilibrar. Mas, a exemplo de toda a equipe, não conseguiu se destacar. Logo em sua primeira convocação, após a demissão de Luxemburgo, Leão "poupou" os atletas que disputaram a Olimpíada. Disse que estava apenas preservando o grupo. No anúncio de sua segunda lista, Leão só chamaria dois remanescentes dos Jogos: Ronaldinho e o zagueiro Lúcio. A seleção viaja domingo para Guaiaquil, no Equador, onde treinará por dois dias. Depois, segue para Quito, horas antes do jogo, a fim de evitar problemas com a altitude da capital equatoriana. O Brasil é vice-líder do grupo sul-americano das eliminatórias, atrás apenas da Argentina. Susto - O atacante Romário, do Vasco, sentiu dores musculares na coxa direitra quando treinava cobranças de falta, no final da tarde de hoje, em São Januário. Ele foi examinado pelos médicos do clube e disse, em seguida, ao técnico Joel Santana que deveria ter condições de enfrentar o Tachira, quarta-feira, na Venezuela, pela Taça Libertadores da América. Romário não quis conversar com a imprensa e deixou o estádio com bolsa de gelo na coxa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.