Lopes pede cautela com Romário

Cada rodada que passa, o Corinthians fica mais perto do título, principalmente se o time confirmar neste domingo o favoritismo contra o Vasco, no Paraembu, às 16 horas, pelo Campeonato Brasileiro. Será simplesmente o encontro do melhor ataque do torneio (71 gols, média de 2,1 por partida) contra a pior defesa, com 75 gols tomados, uma média de 2,2 por partida. Apesar do cheiro de goleada que os números poderiam sugerir, o técnico Antônio Lopes pede cautela. Isso porque do outro lado estará um jogador que Lopes conhece como poucos: Romário. Foi Lopes quem promoveu o atacante em janeiro de 86, quando o garoto já mostrava o temperamento explosivo que o caracterizou. ?Um dia o Romário me disse que ele devia ser o titular porque jogava mais que o camisa 10. O ?Dez? era simplesmente o Roberto Dinamite?, conta o treinador. ?O Romário é um atacante perigoso. Sabe jogar dentro da área como poucos. Precisamos tomar muito cuidado com ele?, pediu Lopes que terá dois desfalques certos: o zagueiro Marinho e o volante Marcelo Mattos, que levaram o terceiro cartão amarelo contra o Paysandu, quinta-feira. Os substitutos devem ser Wescley e Fabrício. Bruno Otávio também é opção na cabeça de área. Wescley compartilha a preocupação do treinador com o veterano atacante do Vasco, que costuma dar sorte contra o Corinthians (em 21 jogos, marcou 20 gols). ?Não sei o que falar do Romário. Eu estou começando minha carreira agora e ele joga há anos. Eu vou entrar para jogar meu futebol. Quando ele pegar na bola, vou estar perto para tirar dele?, garantiu o jogador, que começou carreira no time carioca. Além de Romário, Lopes destacou outros jogadores do Vasco. ?Morais tem técnica. O Abedi é muito veloz. Vágner Diniz é um ala que faz jogadas de linha de fundo. São jogadores que conheço bem. O Vasco não está bem na classificação, mas será um adversário difícil?, alertou o treinador. Lopes deve preservar alguns jogadores, mas se negou a adiantar quais. ?O Lotufo (o fisiologista Renato Lotufo) fez avaliações e três jogadores estão em observação. Amanhã, vamos repetir as avaliações para definir o time?, explicou o treinador que não reclama da maratona de jogos: ?Não podemos falar nada. Sabíamos que teríamos duas competições.? Roger, Tevez e Ratinho, que foram substituídos no jogo contra o Paysandu, não estão entre os três em observação, garantiu Lopes. Em todo caso, o reserva Carlos Alberto está de prontidão: ?Quero jogar e ajudar o Corinthians a ser campeão. Estou me sentindo muito bem e a fase está melhorando. As coisas ruins ficaram para trás. Sou um novo jogador?, garantiu o meia, uma das opções para o lugar de Roger ou do próprio Tevez. Carlos Alberto fez questão de responder às insinuações que o Corinthians estaria sendo favorecido ? como o técnico Leão, do Palmeiras. ?Para mim, não tem essa história de título manchado. Vou ficar muito feliz e orgulhoso com o título. No dia 4 de dezembro (última rodada), quero mais comemorar?, retruca o meia. Antônio Lopes foi mais suscinto: ?Cada um tem o direito de se manifestar do jeito que quiser?, disse secamente.

Agencia Estado,

29 de outubro de 2005 | 15h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.