Love acerta contrato com o Corinthians

O dinheiro da MSI incendiou o Corinthians. Depois de gastar US$ 19,5 milhões por Tevez, US$ 2,5 milhões pelo zagueiro Sebastian Domingues, o fundo de investimento investe US$ 10 milhões (R$ 36 milhões) na contratação de Vágner Love. O atacante que saiu do Palmeiras em julho de 2004 para atuar no CSKA da Rússia acertou hoje os seus salários com o presidente da MSI, Kia Joorabchian. "Sempre tive vontade de jogar no Corinthians. O clube tem muito a ver comigo", disse hoje, sem o menor constrangimento, o ex-palmeirense. Foi iniciativa dele toda a transação. Ele procurou os representantes da MSI falando da sua disposição de voltar para o Brasil e atuar no Parque São Jorge. E mais: o meia Carlos Alberto conseguiu a liberação do Porto hoje. A diretoria do clube português aceitou a proposta de três milhões de euros (R$ 10,8 milhões). Não parou por aí. Um grupo de investidores - que jornalistas argentinos juram ser a MSI - teria contratado os três principais jogadores do River Plate por US$ 36 milhões. Mascherano, Gonzalez e Lopez. O volante Mascherano, velho desejo de Tite, seria repassado ao Corinthians. Os outros dois iriam atuar no futebol português. O dia de compras que parecia fantasia parecia interminável. Representantes do Corinthians fizeram suas propostas para Kleber do Basel e para Tcheco que pertence ao Al Ittihad. " São ótimos jogadores que a MSI está contratando. Só que não me assusto. Eu escolhi os jogadores. O Corinthians já era forte, ficará mais forte. E podem vir as cobranças que estaremos preparados", avisa Tite. A transação mais surpreendente foi a de Vágner Love. A assessoria particular do jogador confirma que o atacante estava conversando com representantes da MSI há cerca de dez dias. Dois motivos teriam feito Love resolver voltar para o Brasil: o frio da Rússia que estaria prejudicando o seu filho - Vágner Júnior tem pouco mais de dois meses. E outra motivação é a seleção brasileira. "Quero disputar a próxima Copa do Mundo. Mesmo fazendo gols pelo CSKA eu estava ficando esquecido. Preciso voltar para perto do Parreira e jogando em um clube grande, de repercussão", repetia Love a amigos. Para conseguir esse impacto, no entender de Love, só poderia ser no São Paulo, Flamengo ou Corinthians. Ao Palmeiras ele não voltaria já que o presidente Mustafá Contursi não admitia pagar os salários de R$ 100 mil que desejava ganhar. Ele deixou o clube recebendo R$ 7 mil de salários e R$ 18 mil em direito de imagens - totalizando R$ 25 mil. Na sua venda de US$ 5,5 milhões ao CSKA, o jogador pegou US$ 1,5 milhão pela primeira temporada na Rússia. Seu contrato era de quatro anos. Tite não tem o menor medo de conduzir essa mistura de jogadores importantes mas que nunca atuaram juntos. "O Corinthians tem uma base. Não vou esquecer o jovem grupo que tirou o clube do rebaixamento e o levou para quinto no Brasileiro. Vou apenas encaixar esses atletas talentosos que a MSI está contratando. Sei que o time precisará dar resposta imediata. E estará preparado para isso", assegura. O zagueiro Sebastian Domingues, que estava descansando em Búzios, pediu à diretoria e assinará o contrato e fará exames médicos no Corinthians apenas amanhã. Carlos Alberto deve deixar Portugal amanhã pela manhã. E ainda há dúvidas em relação a Mascherano, Kléber e Tcheco. Kia Joorabchian deverá passar amanhã e os próximos dias negociando. "Não há prazo, mas seria ótimo ter todos até o dia 14, quando o time se reapresenta", diz o felizardo Tite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.