Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Love credita boa fase à experiência: 'Não preciso provar nada para ninguém'

Atacante de 34 anos disse que não se sente mais pressionado em ter de fazer gols

João Prata, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2019 | 16h14

O atacante Vagner Love concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira. Destaque na vitória sobre o Ceará no meio da semana, o jogador comentou sobre o retorno ao Corinthians, se esquivou ao ser questionado sobre titularidade, analisou o fraco início de temporada de Boselli e se solidarizou com a dupla de zaga Manoel e Henrique, principal alvo de críticas do time. 

Love foi titular nos 3 a 1 em Fortaleza na Copa do Brasil porque o técnico Fábio Carille decidiu poupar Pedrinho, que estava com dores no ombro esquerdo. O veterano de 34 anos começou atuando pelos lados do campo e depois deslocado para centroavante, quando marcou o gol.

Questionado se ganhou a posição no time, desconversou. "Vamos chamar o Carille e perguntar para ele. Como o elenco é competitivo e de qualidade, todos vão ter chance de jogar. Isso vai fazer com que o Corinthians seja competitivo durante toda a temporada. A gente tem de criar essa dúvida para ele", comentou.

O Corinthians volta a campo no domingo para enfrentar o Oeste, em Itaquera, pela penúltima rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista. Mas para Love a titularidade não tira mais seu sono. A vasta experiência no futebol o deixa tranquilo para não se sentir mais pressionado em apresentar resultados.

"Pelo que vivi dentro do futebol, não preciso mais provar nada pra ninguém. Tenho de provar para mim que tenho de me manter bem e jogar em alto nível. Em 2015 (na primeira passagem pelo Corinthians), tinha aquela preocupação de ter de fazer gols. Hoje voltei muito mais tranquilo. Quero ajudar. Essa ansiedade e euforia não tenho mais. Fico mais tranquilo para realizar o que a comissão técnica vem me pedindo."

A experiência ajuda também a dar conselhos aos que estão chegando. O argentino Mauro Boselli ainda não conseguiu se adaptar ao Corinthians. O jogador foi titular nas duas últimas partidas, mas teve atuações discretas (empate com o Santos e duelo com Ceará). É possível que ganhe uma terceira oportunidade consecutiva no domingo.

"Minha relação com ele é muito boa. Todos têm carinho muito grande com ele. Apesar de ele ainda não falar o português, eu falo um portunhol por ter convivido com jogadores de outras nacionalidades e a gente conversa. Ele trabalha muito, e enfrentar essas dificuldades que é do futebol mesmo. Mas tenho certeza de que vai nos ajudar muito durante a temporada", afirmou.

Em relação à dupla de zaga Manoel e Henrique, a história é diferente. Apesar das críticas, Love acha que os dois têm experiência o suficiente para conseguir dar a volta por cima e acredita que eles não precisam de conselhos.

"A pressão que eles têm enfrentado acredito que não afeta o rendimento em campo. Eles sabem lidar. A gente sabe que eles são muito importantes para a gente. Sobre os gols sofridos, a culpa não é só deles. Teve gol de bola parada, escanteio, quando volta todo mundo. A gente se ajuda diariamente. Tenho certeza que as coisas vão melhorar. Eles vão se entender melhor a cada jogo que passa. Sei que vão dar conta do recado", finalizou.

 

Mais conteúdo sobre:
futebolCorinthiansVagner Love

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.