Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Love iguala Guerrero e espera acabar com altos e baixos no Corinthians

Atacante vive altos e baixos desde que chegou ao Corinthians

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2015 | 07h00

A trajetória do atacante Vagner Love no Corinthians é uma montanha russa. Desde fevereiro, o jogador alterna longos jejuns, várias partidas sem marcar gols, com períodos em alta, nos quais anota tentos decisivos para o Corinthians. Depois dos dois gols contra o Atlético Paranaense, ele vive um período de alta. A partida foi decisiva para o Corinthians ampliar a vantagem sobre o Atlético-MG na liderança do Campeonato Brasileiro. “Sei o meu valor”, afirmou logo após a partida na Arena da Baixada.

O camisa 99 chegou a 12 gols e se igualou a Paolo Guerrero como vice-artilheiro da equipe em 2015. Jadson é o máximo goleador com 15. Com esses gols, o atacante encerrou um jejum de cinco jogos sem balançar as redes. Essas oscilações deixam a torcida desconfiada. Depois de atuar sete anos pelo CSKA, da Rússia, e mais dois pelo Shandong Luneng, da China, ele decidiu voltar ao Brasil. Escolheu o Corinthians, arquirrival do Palmeiras, clube que o havia revelado para o futebol. 

O atacante teve muitas dificuldades no período de readptação ao futebol brasileiro, do ponto de vista técnico e físico. Nos primeiros oito jogos, não fez nenhum gol. O primeiro tento só saiu depois de dez jogos, contra o Bragantino, no dia 29 de março. No mês de maio, acabou afastado por 15 dias para recuperar a forma física.

Com a saída de Guerrero em junho, Tite inicialmente apostou em Luciano para a vaga. Após a grave lesão do jogador, que só volta aos gramados no ano que vem, Love ganhou a vaga, mas a gangorra continuou. Sem balançar por mais de um mês, o atacante foi afastado do time titular. Contra o Cruzeiro, no dia 23 de agosto, ganhou nova chance e anotou dois tentos depois de novo jejum. Ele não marcava desde 2 de julho, na vitória sobre a Ponte Preta. “Quem acreditou no Vagner Love foi o Vagner Love. Ele acreditou nele mesmo, ficou quieto e foi trabalhar. É impressionante quanto de efetividade ele vem tendo, ganhando bolas pelo alto, com sustentação e passe por baixo”, disse o Tite após o empate contra o Palmeiras no qual Love foi bem e anotou um dos gols do empate por 3 a 3.

O atacante afirma que nunca se abateu com as críticas. “Nunca deixo de trabalhar, o caminho é esse. Nunca deixo de tentar e acredito no meu potencial, no meu trabalho. Com trabalho, posso fazer a diferença. Não preciso provar nada a ninguém”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.