Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Luan é alvo de críticas em protesto de torcedores do Corinthians

Torcida alvinegra questiona o valor de sua contratação e de seu desempenho dentro dos gramados 

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2020 | 14h22

Considerado a principal contratação do Corinthians para a temporada, o meia-atacante Luan foi alvo de críticas em um protesto de torcedores alvinegros no CT Joaquim Grava. Uma faixa, que questionava o valor da contratação do jogador e seu desempenho em campo, foi pendurada no portão da entrada de jogadores e funcionários do local.

"Luan pipoqueiro. Tem que ter raça para jogar no Coringão. Muito dinheiro para pouca vontade", escreveram os manifestantes. Após a derrota para o Palmeiras na final do Campeonato Paulista, Luan já havia sido alvo de críticas nas redes sociais.

O camisa 7 não participou das cobranças de pênaltis da decisão e os torcedores do Corinthians questionaram sua ausência entre os batedores. De acordo com o clube, Luan, apesar de não ter saído de campo, estava com dores no tornozelo e, por isso, se absteve das cobranças.

O Corinthians anunciou a contratação do jogador no final de 2019. O clube paulista pagou cerca de 5 milhões de euros (R$ 22,7 milhões) para tê-lo em seu plantel. Na época, Luan disse que estava realizando um sonho.

“Estou muito feliz. É a realização de um sonho de criança poder vestir essa camisa. Espero corresponder todo o carinho que tenho recebido já nas redes sociais, nas ruas e na própria Arena Corinthians. Chego com muita expectativa e vontade de dar alegria ao torcedor corintiano. Sou mais um louco do bando. Vai, Corinthians!”, disse.

Desde então, o atleta não tem colhido bons resultados. Ao todo, foram 18 partidas e apenas três gols. Luan e seus companheiros se reapresentaram no CT Joaquim Grava nesta segunda-feira. Eles viajarão para Belo Horizonte na terça, para enfrentar o Atlético-MG na quarta-feira. Será a primeira partida do Corinthians no Brasileirão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.