Luca Toni ataca seus críticos após gols contra a Ucrânia

Luca Toni, autor de dois gols na vitória da Itália sobre a Ucrânia por 3 a 0 nas quartas-de-final da Copa do Mundo aproveitou a oportunidade para defender-se. O atacante a Fiorentina recebeu diversas criticas que a imprensa italiana sobre sua permanência como titular na Azzurra."Sinceramente, me senti perseguido. Recebi um monte de críticas. Tinha de ler que não treinava adequadamente e que não me dava bem com meus companheiros", reclamou Toni, que pediu para que os comentários sejam centrado em seu jogo, não em seu comportamento.Com respeito a partida das semifinais contra a Alemanha (na próxima terça-feira, em Dortmund), Toni acredita que a vitória italiana sobre os ucranianos abriu os olhos dos alemães. "Eles já estavam preocupados conosco antes do 3 a 0, agora estão mais ainda. Eles têm um time organizado, mas nós também", afirmou o artilheiro das últimas duas temporadas do Campeonato Italiano.O jogador da Fiorentina declarou-se especialmente desgostoso pelos comentários sobre uma suposta transferência de seu clube antes do início do Mundial. "Eu disse que queria falar com o presidente (da Fiorentina), mas li no jornais que eu havia dito que gostaria de ir embora, para a Internazionale ou para o Barcelona. Não é certo colocar em minha boca palavras que eu não disse", disparou Toni. "Mas eu nunca perdi a fé, mesmo em naqueles momentos em que um atacante passa jogos sem marcar, eu sempre acreditei na minha capacidade. Mas parece que muitos haviam perdido. Agora mostrei para eles que estava errados", concluiu o goleador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.