Lucas brilha e São Paulo volta a vencer no Morumbi

Com Luis Fabiano e Lucas juntos, o São Paulo é outro. Neste sábado à noite, a equipe chegou a ser vaiada no Morumbi, mas venceu sem grandes problemas a Portuguesa, por 3 a 1, em jogo da 25.ª rodada do Brasileirão, encerrando uma série de quatro partidas sem vencer. Osvaldo, Cortez e Luis Fabiano marcaram, mas o nome do jogo foi Lucas, presente nos três gols.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

15 de setembro de 2012 | 20h29

O resultado faz o São Paulo subir para 39 pontos, no quinto lugar, ficando a três pontos do Vasco, o último time dentro do G4. Enquanto isso a Portuguesa segue no meio da tabela, em 12.º, com 32 pontos, longe da zona de classificação para a Libertadores, mas também sem forte ameaça de rebaixamento.

O São Paulo faz confronto direto por um lugar no G4 no próximo domingo, novamente no Morumbi, contra o Cruzeiro, às 16h. Já a Portuguesa pega outro paulista, o Santos, no sábado, às 21h, na Vila Belmiro.

O JOGO - Sem vencer há quatro partidas, o São Paulo voltava a ter Luis Fabiano e Lucas juntos depois de exatamente quatro jogos. Com os dois em campo, o time tricolor é outro e isso foi visto já nos primeiros minutos de bola rolando no Morumbi.

Os donos da casa fizeram uma blitz na Portuguesa, que não conseguia passar do meio campo. Logo com 3 minutos, Luis Fabiano perdeu ótima chance. No seu estilo, tirou do zagueiro e bateu forte, mas em cima de Dida. Aos 5 ele perderia outra chance, mas daria sorte. O atacante recebeu de Lucas, carregou a bola como quis, mas adiantou e perdeu para o goleiro. No rebote, Osvaldo abriu o placar.

O gol não diminuiu o ímpeto ofensivo do São Paulo, que continuou atacando. Lucas, em dia voluntarioso, quase fez um golaço, mas tropeçou quando driblava Dida. Já Luis Fabiano não estava numa noite precisa. Aos 22, ele subiu sozinho para cabecear cruzamento de Wellington, mas mandou para fora.

Parecia que o segundo gol seria questão de tempo, mas um futebol tão ofensivo abria espaços defensivos. Aos 31, a Lusa empatou. Gustavo deu um chutão desde a sua zaga, Rafael Toloi errou o tempo de bola e ela sobrou livre para Bruno Mineiro bater tirando de Rogério Ceni e deixar tudo igual.

A torcida que compareceu em bom número ao Morumbi não gostou da conclusão da primeira etapa do São Paulo e vaiou o time na saída para o intervalo. Na volta, a Portuguesa estava fechada no seu campo de defesa e o time tricolor buscava abrir espaços. Para tentar se redimir, Tolói quase fez um golaço quando Dida saiu mal do gol numa falta batida na área. O zagueiro dominou na coxa, bateu de cobertura, mas Valdomiro tirou em cima da linha.

Mais uma vez o gol parecia questão de tempo, mas desta vez ele saiu. Foi aos 11 minutos. Osvaldo fez jogada pela esquerda e cruzou. Lucas bateu de primeira, forte, mas quem marcou foi Cortez, que estava no meio do caminho e deu leve desvio, tirando de Dida. A Portuguesa reclamou impedimento, inexistente.

O terceiro gol, como os dois outros, também começou com Lucas. O meia-atacante recebeu lançamento longo de Maicon, driblou Boquita, foi à linha de fundo, e rolou para Luis Fabiano. Aí o centroavante fez a parte dele e mandou para as redes, fazendo seu 11.º gol no Brasileirão em apenas 13 jogos e se igualando a Fred na artilharia.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 X 1 PORTUGUESA

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Wellington, Rafael Tolói, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Maicon (Cícero) e Jadson (Paulo Assunção); Lucas, Osvaldo (Casemiro) e Luis Fabiano. Técnico - Ney Franco.

PORTUGUESA - Dida; Luis Ricardo (Bruninho), Gustavo, Valdomiro e Marcelo Cordeiro (Diego Viana); Léo Silva, Ferdinando, Boquita e Moisés; Ananias (Rodriguinho) e Bruno Mineiro. Técnico - Geninho.

GOLS - Osvaldo, aos 5, e Bruno Mineiro, aos 36 minutos do primeiro tempo. Cortez, aos 11, e Luis Fabiano, aos 32 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Paulo César Oliveira (SP).

CARTÕES AMARELOS - Valdomiro e Moisés.

RENDA - R$ 383.190,00

PÚBLICO - 18.957 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.