Lucas Lima completa um ano de Santos e agora mira títulos e seleção

Lucas Lima completa nesta sexta-feira um ano da estreia no Santos com vitória por 5 a 0 contra o Bragantino, tempo suficiente para pensar em voos mais altos. Ao chegar à Vila Belmiro, a sua referência era o bom Campeonato Brasileiro da Série B de 2013 que havia disputado pelo Sport. Em pouco tempo, Lucas passou a ser visto como meia de características raras até pelo treinador da seleção brasileira, Dunga, que pediu informações a respeito dele ao empresário Edson Khodor, o que aumenta a sua esperança de ser convocado quinta-feira para os amistosos do Brasil contra França (em Paris) e Chile (em Londres), nos dias 26 e 29 de março, respectivamente.

SANCHES FILHO, Estadão Conteúdo

26 de fevereiro de 2015 | 19h37

"Sonho em ser convocado, mas mantenho os pés no chão. Tenho procurado trabalhar e espero uma chance na seleção para mostrar o meu valor. Tudo vem na hora certa. Tenho cabeça tranquila. Quero fazer meu papel no Santos, jogar bem, ganhar títulos e chegar à seleção. Mas não nego que pensa na seleção. Converso sempre com Robinho e Elano para saber como é jogar na seleção brasileira e disputar uma Copa do Mundo", disse.

E, se for convocado, será o segundo contato dele com Dunga. O primeiro foi em janeiro de 2013, quando o atual treinador da seleção estava no Internacional de Porto Alegre e Lucas Lima era apenas um meia em disponibilidade e que logo em seguida foi emprestado ao Sport.

Além de uma tentadora proposta do Guangzhou Evergrande, da China, que ele preferiu nem tomar conhecimento dos valores por entender que ficaria escondido e longe da seleção, Lucas Lima recebeu outra, do Torino, da Itália. Mas a oferta de oito milhões de euros ficou distante dos 20 milhões de euros pretendidos pela Doyen Sports, que é dona de 80% dos seus direitos de Lucas (o Santos tem 10% e os

outros 10% são do empresário Khodor).

Mas houve uma queda no desempenho de Lucas Lima no início de 2015, o que poderá atrapalhar a sua pretensão de chegar à seleção já para os amistosos de março e abrir caminho para fazer parte do grupo que vai disputar a Copa América. No ano passado, o meia marcou cinco gols e deu cinco assistências. E nos seis jogos desta temporada ainda não fez gol e deu apenas uma assistência.

A explicação para o momento ruim é que, com a saída de Arouca, Enderson Moreira o colocou para atuar mais recuado com a incumbência de participar mais da marcação. Tanto que no Campeonato Paulista ele já fez 19 desarmes, apenas dois menos que Alison, que vinha sendo o melhor do time nesse quesito.

Lucas desconversa ao ser perguntado sobre o assunto. Prefere falar sobre o reconhecimento que teve da diretoria, que lhe deu aumento salarial de 120% para evitar a sua saída em janeiro, passando de R$ 100 mil para R$ 220 mil. "Queria muito jogar em um grande de São Paulo (quase foi contratado pelo Palmeiras no ano passado) e vestir a camisa do Santos é a realização de um sonho", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCLucas Lima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.