Maurício de Souza/Estadão
Maurício de Souza/Estadão

Lucas Lima desmonta o Corinthians, Santos vence na Vila Belmiro

Time da Vila vence por 2 a 0 e larga na frente na Copa do Brasil

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2015 | 00h12

Coube ao talentoso Lucas Lima desmontar a melhor defesa do País e deixar o Santos perto da vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. Com ótima atuação do meia, uma das novidades da lista de convocados de Dunga para a seleção brasileira, o time santista venceu o Corinthians por 2 a 0, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, e tem a vantagem de perder por até um gol de diferença na próxima quarta-feira, no estádio Itaquerão, em São Paulo, que estará classificado. Se fizer um gol, pode sofrer até três.

Nesta quarta-feira, Lucas Lima não precisou marcar nenhum gol para se transformar no destaque do clássico. Mas, graças a seus passes açucarados, Gabriel e Marquinhos Gabriel acabaram com a invencibilidade do Corinthians que já durava 11 jogos. A última derrota da equipe de Tite, inclusive, havia sido justamente para o Santos, no dia 20 de junho, pelo Campeonato Brasileiro. Foi a quinta vitória seguida do Santos na Vila Belmiro sob o comando de Dorival Júnior.

Com um minuto de jogo, o Santos já mostrou o seu cartão de visitas em um chute de Zeca de fora de área - Cássio faz grande defesa. Desde o início da partida, o time demarcou território no campo de ataque e deixou o Corinthians acuado. O Santos era bastante incisivo e todos os jogadores de meio de campo, quando recebiam a bola, procuravam Ricardo Oliveira entre os zagueiros corintianos. O atacante dava profundidade ao jogo do Santos graças às bolas esticadas para ele dentro da área.

Já o Corinthians, quando tinha a posse de bola, trocava passes sem objetividade. Luciano se via obrigado a recuar demais para tentar receber a bola e Malcom, isolado pela esquerda, era presa fácil para os seus marcadores. Elias mal dava as caras no ataque e os laterais avançavam pouco. Renato Augusto carregava demais a bola e, em todas as tentativas de furar a defesa santista, foi desarmado. Peça fundamental na engrenagem da equipe, Jadson era figura praticamente nula e dedica-se mais à marcação do que à armação das jogadas.

Se faltava criatividade ao Corinthians, o Santos contava com Lucas Lima para fazer a diferença. Com extrema facilidade, o jogador comandava o meio de campo com toques rápidos e passes precisos. Aos 32 minutos, ele fez um cruzamento milimétrico para Gabriel, nas costas de Felipe e Fagner. Sem marcação, o atacante cabeceou firme para colocar o Santos em vantagem no placar.

A situação ficou ainda mais complicada para o Corinthians aos 42 minutos, quando Luciano, com uma lesão no joelho direito, pediu para ser substituído. Tite, então, colocou o apático Vagner Love.

No segundo tempo, o Corinthians melhorou. Tite avançou a marcação e o time passou a atacar com mais frequência. Elias ficou solto para jogar próximo dos atacantes, enquanto que Renato Augusto auxiliava Bruno Henrique na marcação. O problema é que a equipe não conseguia criar um único lance de perigo. Sem triangulações ou investidas pela linha de fundo, o time era refém das jogadas individuais. Faltava sobretudo poder de conclusão.

A melhor chance da equipe veio após lance confuso na área, aos 10 minutos, quando o goleiro Vanderlei bateu cabeça com David Braz e a bola sobrou para Vagner Love. De costas para o gol, o atacante tocou para Elias, que chutou para a defesa de Vanderlei.

O Santos não repetia o ímpeto ofensivo do primeiro tempo e o jogo diminuiu de intensidade. Bem marcado, Lucas Lima já não recebia mais a bola com tanta frequência e Ricardo Oliveira se limitava a brigar por espaço entre os zagueiros. Sem muitas opções, o Santos só voltou a criar uma boa chance aos 21 minutos. Lucas Lima cruzou na cabeça de Ricardo Oliveira, que tirou de Cássio, mas viu Gil afastar quase em cima da linha.

Com o jogo truncado, Tite apostou na velocidade de Mendoza para tentar abrir espaço no meio da defesa santista. O colombiano entrou no lugar de Malcom com a instrução de jogar nas costas de Zeca. A estratégia não deu certo. E quem chegou ao gol foi o Santos. Aos 33 minutos, Marquinhos Gabriel, que havia entrado no lugar de Geuvânio, fez ótima tabela com Lucas Lima, invadiu a área e selou a vitória santista.

FICHA TÉCNICA

SANTOS:  Vladimir; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato, Lucas Lima (Paulo Ricardo) e Gabriel (Neto Berola); Geuvânio (Marquinhos Gabriel) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

CORINTHIANS:  Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Renato Augusto e Jadson (Danilo); Malcom (Mendoza) e Luciano (Vagner Love). Técnico: Tite.

GOLS: Gabriel, aos 31 minutos do primeiro tempo; Marquinhos Gabriel, aos 33 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS: Lucas Lima (Santos); Fagner (Corinthians).

ÁRBITRO: Wilton Teixeira Sampaio (Fifa/GO).

RENDA: R$ 678.150,00.

PÚBLICO: 10.383 pagantes.

LOCAL:Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.