Lucas minimiza irregularidade do Fluminense e confia em vaga na Libertadores

Time volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, quando visita o Vitória

Estadao Conteudo

06 de setembro de 2017 | 17h59

Depois de uma longa parada, o Fluminense volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, quando visita o Vitória no Barradão com o objetivo de interromper a irregularidade vivida na competição. Foram apenas duas vitórias, mas também duas derrotas, nas últimas oito partidas, retrospecto que preocupa a equipe, apesar de os jogadores considerarem normal a oscilação.

"No Campeonato Brasileiro, é normal ter uma certa irregularidade, todos os times têm. É difícil ganhar vários jogos seguidos. As equipes que conseguem fazer isso dão um salto muito grande. De 20 equipes, só duas conseguiram. Como é o caso do Corinthians, líder, e do próprio Vitória, que saiu lá de baixo. É difícil, é complicado, mas é possível. Espero que a gente viva um bom momento nesse retorno e consiga uma sequência de vitórias", disse o lateral Lucas nesta quarta-feira.

De fato, o Fluminense vai encarar um Vitória embalado, que deixou a zona de rebaixamento, mas que por outro lado é um dos piores mandantes da competição. Por isso, a ordem é vencer em Salvador para que o time carioca possa seguir sonhando com a vaga na Libertadores.

"Nessa parada, nos dedicamos bastante pensando nesse jogo contra o Vitória. Temos mais três treinamentos para o professor Abel (Braga) fazer os acertos. É dessa forma, encarando jogo a jogo, que vamos tentar vencer, terminar o ano bem e quem sabe alcançar a classificação para a Libertadores", considerou Lucas.

O Fluminense está na parte intermediária da tabela, em nono lugar, com 30 pontos, e pode entrar na zona de classificação à Libertadores se vencer no fim de semana. "Nossa ideia é chegar ali no pelotão da frente. Já tivemos algumas chances, mas não alcançamos. A ideia é colocar na cabeça de todos que uma vitória nos coloca ali na parte da cima, que ainda podemos conquistar coisas boas esse ano."

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.