Matthew Childs/Reuters
Matthew Childs/Reuters

Lucas Moura teme ser esquecido pela seleção: 'Será que nenhum treinador gosta de mim?'

Atacante do Tottenham lamenta falta de espaço nas convocações e promete um dia voltar ao São Paulo

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2020 | 12h40

O atacante Lucas Moura, do Tottenham, revelou nesta sexta-feira ter o receio de ser esquecido pela seleção brasileira. Apesar de estar na Europa desde 2013 e ser titular com frequência do time inglês, o jogador revelado pelo São Paulo diz que por vezes não se sente notado por Tite, lamenta ter ficado fora de convocações para competições oficiais e garante que um dia voltará ao time do Morumbi.

"Passa, às vezes, pela cabeça: 'Será que nenhum treinador gosta de mim? Será que ninguém está me olhando? Será que me deixaram de lado?'", disse Lucas em entrevista ao site Globoesporte.com. "Com tudo o que aconteceu nesses anos, na Copa de 2014 eu tinha muita esperança de ser convocado porque vivia bom momento no PSG (Paris Saint-Germain). A gente pensa. Inclusive ano passado, aconteceu tudo na Liga dos Campeões, três gols, todo mundo fala, mas a seleção não vem", comentou.

Lucas, de 27 anos, integrou o grupo brasileiro que venceu a Copa das Confederações, em 2013, e depois apareceu também na lista montada por Dunga para a Copa América Centenário, em 2016. Com Tite, o atacante só ganhou chances em alguns amistosos, porém não chegou a entrar nas convocações para os últimos torneios, como a Copa de 2018 e a Copa América de 2019. A situação deixa o jogador incomodado e em dúvida sobre se um dia terá novamente chances.

"Quando você está em um lugar como a Premier League, jogando em clube que está sempre brigando entre os primeiros, se destacando, jogando final de Liga dos Campeões e acaba não sendo lembrado, fica com esse receio de o que mais tem que fazer pra ser lembrado?", questionou o atacante. Apesar disso, ele garante que não vai desistir. "Tenho que dar o meu melhor. A única chance de realizar o sonho de jogar uma Copa do Mundo é não desanimando", afirmou.

Assim como demais clubes ingleses, o Tottenham voltou aos treinos em grupos separados, para evitar o risco de contágio pela pandemia do novo coronavírus. Lucas e os demais companheiros têm respeitado o distanciamento e trabalhado em horários diferentes ao longo do dia. O país pretende retomar o campeonato em breve, porém com jogos sem a presença da torcida.

À distância, Lucas mantém a ligação com o São Paulo e promete voltar um dia ao clube do Morumbi. "Não consigo pensar em jogar no Brasil em outro clube sem ser o São Paulo. Quero muito voltar a jogar no Brasil. Quando penso nisso, é só o São Paulo que vem à cabeça. Não me vejo jogando em outro clube sem ser o São Paulo", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.