JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Lucas pede paz entre organizada e diretoria em nome do Palmeiras

Neste domingo, torcedores protestaram contra preço dos ingressos

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

11 de maio de 2015 | 08h21

Um fato marcante no empate por 2 a 2 entre Palmeiras e Atlético-MG, sábado, no Allianz Parque, foi a torcida organizada Mancha Alviverde não cantar durante o jogo e sequer comemorar os gols marcados pela equipe como protesto pelo alto preço dos ingressos. Após a partida, o lateral-direito Lucas, mostrando personalidade, pediu a paz entre torcedores e diretoria, para que juntos, pensem apenas em ajudar os atletas.

"Durante o jogo, eu não tinha nem me tocado (que a organizada não gritou), mas fizeram comentários sobre isso, que estavam protestando contra o preço  dos ingressos. A diretoria tem uma posição e eles têm outra. Seria importante estarmos em conjunto e que se fosse definida uma situação para que todos estejam cada vez mais do nosso lado. Sabemos quanto a torcida Mancha Verde é forte e guerreira e ela vai nos ajudar muito nessa competição", disse o lateral. 

Durante a partida, os torcedores "comuns" chegaram a xingar a organizada e no momento do gol marcado por Rafael Marques o clima ficou ainda mais quente e felizmente nenhum incidente foi registrado. A reclamação da Mancha acontece desde a inauguração da arena. Com o novo estádio, o Palmeiras resolveu aumentar o preço dos ingressos, também para incentivar que mais torcedores se tornem sócios do Avanti, programa de sócio-torcedor do clube. 

No meio do fogo cruzado, Lucas só torce para que os responsáveis por cada lado da discussão consigam um entendimento. "Esperamos que tudo se resolva da melhor forma possível para que eles estejam cada vez mais próximos de nós e nós, deles", projetou. 

Sobre o jogo, o lateral acredita que o fato do Atlético ter atuado com uma organização tática melhor, embora fosse o time reserva, dificultou a vida do Alviverde. "Por mais que venham com reserva, é um time totalmente arrumado, bem treinado, difícil pra caramba. Em outros jogos, pegamos times que vinham para ficar trás, mas eles sempre debateram o jogo com a gente. Campeonato Brasileiro é assim, poucos serão os times que virão aqui e jogarão totalmente fechados. O Atlético veio taticamente bem", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasLucas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.