Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Lucca aceita salário menor e renova com Corinthians por 3 anos

Jogador havia reclamado de indefinição após jogo da Libertadores

O Estado de S. Paulo

12 de abril de 2016 | 08h22

A diretoria do Corinthians e o meia Lucca acertaram, na noite desta segunda-feira, a renovação por três anos do jogador. A negociação se estendia há algumas semanas e o atleta chegou a reclamar em público da situação, logo após a partida na Colômbia contra o Independiente Santa Fe, pela Copa Libertadores. 

A última pendência para o fechamento do negócio era o alto salário exigido pelo atleta. Lucca pedia cerca de R$ 300 mil por mês, muito acima do oferecido pelo clube. O valor final não foi divulgado. O atual vínculo de empréstimo se encerraria no final do mês de maio. 

Há duas semanas, o Corinthians já havia acertado com Cruzeiro e Criciúma a compra de 60% dos direitos econômicos do atleta, algo em torno de R$ 4,5 milhões. O clube mineiro era dono de 10% dos direitos do atleta e os outros 50% pertenciam aos catarinenses. 

"É um atleta importante. Eu fiz questão de sentar com ele na minha sala e passar o que o Corinthians teria como proposta econômica e esportiva. Falei inclusive o que o Tite vem falando, porque é importante o atleta saber o que a comissão técnica vem falando a seu respeito", contou o diretor de futebol Edu Gaspar na reunião sobre as quartas de final do Campeonato Paulista, na sede da Federação, neste segunda-feira. Clube e jogador devem anunciar oficialmente o novo vínculo ainda esta semana, ao final dos trâmites burocráticos. 

Lucca chegou ao Corinthians durante a disputa do Campeonato Brasileiro do ano passado. Logo em sua estreia foi fundamental na vitória sobre o Santos, em Itaquera, participando da jogada dos dois gols corintianos. No total, o meia tem 30 jogos e sete gols pelo clube. Das 20 partidas nesta temporada, Tite o utilizou em 17, sendo 14 como titular. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.