Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

Luciano joga para evitar maior jejum de gols e fazer São Paulo depender menos de argentinos

Diante do Bragantino, atacante quer encerrar jejum de 549 minutos sem balançar as redes

RIcardo Magatti, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2021 | 05h00

Os atacantes do São Paulo estão sob os holofotes por motivos diferentes. Enquanto Rigoni e Calleri estão em alta, mas, machucados, são desfalques, Luciano joga para reencontrar o caminho das redes. Neste domingo, às 18h15, em Bragança Paulista, diante do Red Bull Bragantino, o atacante quer voltar a marcar para evitar uma marca negativa que nunca amargou no time tricolor. 

Luciano entra em campo no duelo da 28ª rodada do Brasileirão pensando em encerrar o jejum de gols e, com isso, evitar acumular o maior tempo sem fazer um gol com a camisa do São Paulo desde que chegou ao clube em agosto de 2020. Isso acontecerá se ele deixar o gramado do Nabi Abi Chedid sem balançar as redes.

O antes prolífico atacante marcou um gol pela última vez contra o Atlético-GO, em 19 de setembro, ou seja, há pouco mais de um mês. O São Paulo jogou seis vezes depois disso e o atleta saiu de campo sem marcar em todas as ocasiões. São 549 minutos de jejum. 

Para o jogador, é muito. Ele não estava acostumado com tamanha  sequência em branco, já que desde que foi contratado no meio da temporada passada encontrava o caminho das redes com frequência, incluindo seu jogo de estreia, diante do Bahia. Em 2020, foram 21 gols e sete assistências em 38 jogos - 18 deles foram anotados no Brasileirão, o que o fez terminar o torneio como artilheiro.

Nesta temporada, porém, o desempenho não tem sido o mesmo. Luciano sofreu com lesões musculares e passou a atuar mais recuado em algumas partidas sob o comando de Hernán Crespo. Por enquanto, fez somente sete gols e deu uma assistência em 32 confrontos. No último clássico com o Corinthians, ele chegou a balançar as redes, mas o gol foi anulado. Também acertou uma bola na trave.

"Espero voltar a fazer gol para comemorar com a torcida o quanto antes", disse o ansioso atacante, em entrevista recente.

Luciano joga para voltar a ser goleadores e também fazer com que o São Paulo dependa menos de Rigoni e Calleri. Os argentinos se recuperam de problemas musculares e não devem enfrentar o Bragantino. Foram eles os autores de todos os quatro gols do time marcados nas últimas seis rodadas. Calleri deve ser substituído por Pablo.

Nessas partidas, Calleri, o goleador que a torcida tanto quis de volta, balançou as redes três vezes e Rigoni, uma. Ele é o jogador com mais participação em gols da equipe nesta temporada e sua ausência tem sido muito sentida. 

Depois de derrotar o Corinthians no clássico da última segunda-feira e dar a Rogério Ceni seu primeiro triunfo nessa nova experiência como técnico no Morumbi, o São Paulo tenta vencer o segundo jogo seguido no Brasileirão para se aproximar do grupo que briga por uma vaga na fase prévia da Libertadores. A equipe soma 34 pontos e não perdeu nas últimas oito partidas, com duas vitórias e seis empates.

O Bragantino soma 43 pontos e briga na parte de cima da tabela. O time de Maurício Barbieri, o técnico mais longevo da Série A, estava invicto há seis jogos, embora tenha vencido apenas dois deles neste período. O volante Jadsom volta após cumprir suspensão e o atacante Artur, craque do time, já cumpriu o tempo de isolamento após contrair a covid-19. A tendência é de que retome sua titularidade.

FICHA TÉCNICA

RED BULL BRAGANTINO X SÃO PAULO

RED BULL BRAGANTINO - Cleiton; Aderlan, Fabrício Bruno, Léo Ortiz e Edimar; Emiliano Martínez, Eric Ramires e Pedrinho; Helinho, Cuello e Hurtado. Técnico: Maurício Barbieri.

SÃO PAULO -  Tiago Volpi; Orejuela, Miranda, Arboleda e Reinaldo; Liziero, Igor Gomes, Gabriel Sara e Martín Benítez; Luciano e Pablo (Marquinhos). Técnico: Rogério Ceni.

ÁRBITRO - Felipe Fernandes de Lima (MG)

HORÁRIO - 18h15

LOCAL - Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista.

TV - Premiere 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.