Lúcio cobra caráter e diz que todos precisam correr pelo Palmeiras

Zagueiro pede desculpas ao torcedor pelos maus resultados no Brasileirão e dá a entender que alguns atletas fazem 'corpo mole'

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

22 de agosto de 2014 | 12h29

O zagueiro Lúcio, que volta ao time do Palmeiras após cumprir suspensão na partida contra o Sport, falou grosso e mandou um recado para os companheiros de time nesta sexta-feira, na Academia de Futebol. O capitão da equipe cobrou caráter do elenco e deu a entender que nem todos os atletas estão comprometidos como deveriam para tirar a equipe de uma situação tão complicada como a que vive no Campeonato Brasileiro, a lanterna. Suas declarações certamente vão provocar mal-estar no vestiário.

"Todos os jogadores, não só eu, têm de pedir desculpa ao torcedor, porque o papel que estamos desempenhando nos últimos jogos é vergonhoso. Temos de ter mais caráter e responsabilidade em campo. Futebol é coletivo, não adianta metade correr e a outra metade não. Esse é o nosso pedido de desculpa para o palmeirense. Todos os jogos terão de ser decisão para a gente agora, porque nosso objetivo é não ser rebaixado", disse o zagueiro, em entrevista realizada após o treino da manhã, na Academia de Futebol.

Mostrando-se bastante insatisfeito com a situação, Lúcio disse ainda que alguns jogadores parecem não dar bola para a situação e que falta comprometimento de alguns. "A gente procura motivar e fazer com que todos acreditem em seu futebol, mas a questão é ver quem quer lidar com isso e aceitar essa mudança, receber bons conselhos, ser motivado e se dedicar. Não adianta falar mil e uma palavras e para alguns jogadores. As palavras entram por um ouvido e saem pelo outro. Depende muito da personalidade de cada um e do caráter."

Sobrou até para a diretoria do Palmeiras. Lúcio deixou claro que não tem de ser ele o responsável pela cobrança, mas sim a diretoria e comissão técnica do Palmeiras. "Cada um tem de analisar e ver o que fez. Em alguns jogos, não temos rendido o suficiente e quem pode cobrar tem de cobrar. Esse comprometimento e essa responsabilidade não cabem ao capitão nem a um outro líder do time, mas sim ao treinador, diretoria e autoridades do clube."

Sob pressão, o elenco do Palmeiras já iniciou na quinta-feira à noite a concentração para a partida contra o Coritiba, sábado, às 21h, no Pacaembu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasBrasileirãoLúcio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.