Lúcio e Juan exaltam a regularidade da defesa brasileira

Para o zagueiro Juan, o confronto com Gana foi importante para que o time dirigido por Parreira ganhasse mais experiência nas próximas fases da Copa do Mundo - o próximo jogo será pelas quartas-de-final. "Foi mais um teste difícil, contra um outro estilo de jogo que ainda não havíamos enfrentado. Esperava ter muito trabalho e graças a Deus não sofremos gols mais uma vez. Todos os jogadores de Gana são rápidos e se movimentavam muito no ataque. Conseguimos neutralizar os atacantes. Mais um teste e estilo de jogo diferente e nos adaptamos bem a todos eles", analisou.Já o segundo companheiro de zaga, Lúcio, disse estar feliz com a marca de ainda ter feito nenhuma falta nos quatro jogos que já disputou na Alemanha. "Isso é um ponto positivo. Mas o meu objetivo não é evitar as faltas, e sim ajudar o Brasil a não tomar gols", disse. "É muito importante esse entrosamento que tenho com o Juan. Sabemos que estar bem fisicamente não ajuda para chegarmos na bola para evitar erros e sair do campo satisfeito".Segundo o defensor do Bayern de Munique, as demais seleções estão com excesso de vontade para bater o Brasil. "Cada vez que vai afunilando, as equipes complicam, fazem o jogo da vida deles", discursou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.