Lúcio elogia começo do trabalho de Gareca no Palmeiras

O elenco do Palmeiras voltou aos treinamentos na última segunda-feira e, já sob o comando do técnico argentino Ricardo Gareca, está trabalhando forte para o retorno ao Campeonato Brasileiro e à Copa do Brasil depois da Copa do Mundo. A parte física vem sendo priorizada, o que agradou ao zagueiro Lúcio, um dos mais experientes do elenco palmeirense.

AE, Agência Estado

18 de junho de 2014 | 14h05

"Agradeço a Deus por voltarmos a treinar forte, já é o terceiro dia de treinamento físico. Faz parte, espero que nos ajude no decorrer do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil", afirmou Lúcio, ao comentar o retorno após duas semanas de folga.

Lúcio também fez elogios ao novo técnico, que foi contratado no final de maio e só começou a comandar efetivamente o time agora - no começo, Gareca ficou apenas observando de longe, enquanto o interino Alberto Valentim continuava no comando.

Segundo o zagueiro, Gareca chegou com uma postura positiva, com bastante diálogo e com uma mentalidade vencedora. Antes da contratação do argentino, o mesmo Lúcio chegou a dizer que ficava preocupado com a possibilidade de o Palmeiras ter um técnico estrangeiro, principalmente por causa da comunicação. Agora, porém, ele parece satisfeito.

"Ele (Gareca) está conseguindo se comunicar muito bem com a gente. É um cara que gosta muito do trabalho no campo, deu para ver que ele gosta de atividades físicas e de ver as suas equipes em uma boa forma atlética", revelou Lúcio. "Ele conversa separadamente com cada jogador. Dessa maneira, todos se sentirão à vontade, sentirão a confiança dele para conosco. Isso é fundamental para a equipe ter uma mentalidade vencedora."

O zagueiro de 36 anos classificou a primeira etapa palmeirense no Campeonato Brasileiro como "razoável" e acredita que a chegada de reforços é importante para que a equipe alcance melhores resultados no restante da temporada.

"Quanto mais reforçar o elenco, melhor. Temos de pensar desta forma. Mas isso não nos preocupa, é uma responsabilidade da diretoria. O Brasileiro é longo, jogamos apenas nove rodadas, e tem a Copa do Brasil ainda. Pedimos a Deus que isso não aconteça, mas sempre temos suspensões e lesões mais graves, e isso faz com que precisemos de outro jogador. Todo jogador qualificado é bem-vindo. Além de um time, nós precisamos de um elenco forte", explicou Lúcio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasLúcio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.