Lúcio garante que parou com as baladas

A presença do lateral Lúcio três dias antes da semifinal do Campeonato Paulista na boate Porkarias, em Bragança Paulista, provocou uma crise dentro de sua família. A revelação foi feita pelo próprio jogador ao JT.Segundo ele, a greve de silêncio com a imprensa foi uma maneira de amenizar a dor da esposa, Patrícia, e da mãe, Célia, em relação à repercussão negativa que o caso ganhou. "Você não imagina o quanto essas acusações de que eu estava freqüentando a noite fizeram mal lá em casa. Minha esposa e minha mãe, vendo tudo aquilo, passaram por momentos complicados. A crise chegou ao seu ponto máximo quando eu perdi o pênalti na partida contra o Paulista. Foi uma choradeira só. Imaginaram que eu seria responsabilizado mais dos que os outros, o que acabou acontecendo. Mas quem me conhece bem sabe que sou um cara correto. Por isso, minha esposa me deu todo o apoio. Pena que algumas pessoas quiseram se promover em cima do caso."O lateral garantiu que vai continuar saindo, mas só para ir a restaurantes e shopping centers. "Nenhuma pessoa vai interferir no meu modo de vida. E não quero mais ouvir falar sobre baladas. Gostaria que alguém provasse que não estou agindo corretamente", desafiou.Mas a consciência de que a imagem ficou arranhada ficou evidente nas palavras de Lúcio. "Aprendi que as coisas muitas vezes acontecem da forma como não imaginamos. Mas não posso deixar que situações como essa me afetem."O jogador analisou suas últimas atuações e discordou daqueles que afirmam ter caído de produção em relação ao ano passado. "O problema é que o lado esquerdo do Palmeiras, por onde fizemos muitos gols desde 2003, ficou muito visado. E os treinadores adversários se preocupam demais em marcá-lo. Estou buscando alternativas durante os jogos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.