Lúcio garantido no Palmeiras em 2005

Em 2004, poucos jogadores foram tão criticados num clube de futebol do Brasil quanto o lateral-esquerdo Lúcio, do Palmeiras. Depois de uma excelente participação na Série B de 2003, quando foi um dos destaques da campanha que levou a equipe ao título, Lúcio viveu uma temporada cheia de altos e baixos e perseguições da torcida. Em vários jogos, foi xingado pelos torcedores de "pior lateral do mundo".No entanto, o jogador está garantido no Palmeiras para 2005. "Recebemos algumas propostas, inclusive do futebol mexicano", afirmou o procurador de Lúcio, Jaílton Costa. "Mas as conversas não evoluíram e o Lúcio vai cumprir seu contrato com o Palmeiras."O lateral, que tem compromisso com o clube do Palestra Itália até o fim de 2007, declarou há algumas semanas que teria sido sondado para deixar o Brasil, mas pretende ficar no Palmeiras. "A perseguição da torcida faz parte. É meio chato, porque o jogador rende mais quando é apoiado", comentou. "Mas gosto muito do Palmeiras, que me projetou para o futebol brasileiro."Outro argumento usado por Costa para a permanência do lateral, com boa passagem pelo Ituano, é o interesse do próprio Palmeiras. "Os dirigentes asseguraram que não abrem mão, não querem se desfazer do Lúcio", afirmou. "Há poucos bons jogadores para a posição dele, no futebol brasileiro."Jaílton só não garante que Lúcio atue durante toda a temporada no time alviverde. "Na metade do ano, com a abertura do mercado europeu, pode ser que o panorama mude", projeta.Nen - Se a situação do lateral Lúcio parece resolvida, a do zagueiro Nen está complicada. O presidente do Gama, Wagner Mharques, pede R$ 2 milhões pelo defensor, um dos melhores do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. O Palmeiras tentou a prorrogação do empréstimo, mas o dirigente do Gama só aceita a venda. Mharques teria, inclusive, recebido propostas de clubes estrangeiros. "Espero que uma solução apareça, porque eu quero ficar no Palmeiras", disse Nen. "Aqui pude aparecer para o futebol brasileiro e seria muito bom para mim poder disputar a Taça Libertadores, em 2005."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.