Lugano enche a bola de Edcarlos

Lugano pára a entrevista e puxa Edcarlos, que vem andando com um tamborim na mão. "É com ele que vocês têm que falar. O cara jogou muito. Era uma final de Mundial e ele não errou nada. Salvou uma bola super difícil em que estava cercado por três jogadores.? Edcarlos pára encabulado. "Obrigado, meu pai. Acho que eu fui bem, sim, mas todo o time foi. Sei que a torcida reclama de mim, mas não ligo. Sei que é por bem. Eles querem o melhor para o time e eu quero isso também." E sai. Fica Lugano e sua bandeira uruguaia. "Tenho certeza que tem gente em Montevidéu comemorando esse título. Em Canelones, minha cidade, todo mundo está nas ruas. Fui com a bandeira de meu país porque o povo uruguaio poder ver essa cena de novo: uma bandeira uruguaia no pódio. Eu me sinto como um embaixador do São Paulo no Uruguai e do Uruguai no Brasil."A bandeira serviu também para que ele tentasse esquecer um pouco a mágoa de ter sido eliminado na Copa de 2006 pela Austrália, na repescagem. Não adiantou muito. "São coisas diferentes. Aquela dor é muito grande, muito difícil de terminar. Mas, hoje, nem quero pensar nela."

Agencia Estado,

18 de dezembro de 2005 | 16h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.