Luis Alvaro diz que contusão de Ganso é 'incurável'

A contusão de Paulo Henrique Ganso é "incurável". Quem afirma é o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, que nesta segunda-feira fez questão de deixar claro que o ex-jogador santista vai receber menos no São Paulo em relação a proposta que lhe foi feita pela direção do clube para que ele continuasse na Vila Belmiro.

JAMIL CHADE, Agência Estado

25 de setembro de 2012 | 08h53

Em Zurique, na Suíça, onde participou de reuniões na Fifa, o cartola do Santos falou sobre a situação física do jogador e apontou que "o problema é sério". "Vão ter de acompanhar com muito cuidado o jogador. Na minha opinião, o que ele tem é incurável", disse, sem dar maiores detalhes sobre os problemas do jogador.

O cartola insistiu que estava "aliviado" com o final da novela. "Não aguentava mais. Sua saída foi a melhor solução", afirmou. Luis Alvaro esteve na Europa no momento crítico das negociações sobre o futuro do jogador. Mas garantiu que acompanhou tudo "online".

O cartola revelou que Paulo Henrique Ganso recebeu quatro propostas diferentes para ficar no Santos e que, na última, ele ganharia R$ 420 mil, contra os R$ 350 mil mensais que vai receber em novo contrato com o São Paulo. "Ele ganharia mais no Santos. Mas a verdade é que ele não queria mais jogar no nosso clube", disse.

O cartola ainda confirmou que a venda de Paulo Henrique Ganso terminava com a parceria entre o time e a empresa DIS, do Grupo Sonda. A companhia tem 55% dos direitos do meia. "É um final de casamento", admitiu Luis Alvaro. Além de Paulo Henrique Ganso, a DIS ainda é dona de 40% do passe de Neymar.

CRÍTICAS - O cartola ensaiou algumas reclamações em relação à postura do São Paulo durante toda a negociação com Paulo Henrique Ganso. "O São Paulo tem o jeito deles, que é diferente do meu. Não é um juízo de valor. Mas a vida continua", disse.

O presidente insistiu que "não iria ceder um só centavo" na negociação e alertou que preferia que Paulo Henrique Ganso tivesse deixado o Santos "de uma outra maneira". Luis Álvaro, contudo, reconheceu que ex-camisa 10 da Vila Belmiro "fez história no time". "Não posso negar, sou um devedor do Ganso", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.